Sexualidade humana: saiba como Freud explica sua origem

Um dos principais estudiosos da mente humana, Freud tinha suas próprias teorias sobre como a sexualidade humana é despertada

None
FOTO: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 18/01/2017 às 08:22
Atualizado às 11:10

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Para explicar as bases da sexualidade humana, Freud recorreu a Édipo Rei, uma tragédia grega escrita por Sófocles no século 4 a.C.. No enredo, o personagem principal (Édipo) tem seu destino traçado pelos deuses: sem saber, assassinaria seu pai, Laico, para se casar com sua mãe, Jocasta.

A partir da história, o psicanalista criou o chamado Complexo de Édipo, um termo que define os desejos amorosos que o filho nutre por sua mãe durante uma fase de seu desenvolvimento – geralmente, dos três aos seis anos.

mulher homem abracados sexualidade

FOTO: Shutterstock.com

De acordo com Freud, nesse período da vida, o menino direciona toda sua libido para a mãe (sua provedora). Entretanto, desenvolve a noção de que as atenções dela precisam ser divididas com outra figura masculina, ou seja, o pai. Nesse momento, motivado pelo ciúme, o id da criança deseja a morte ou a eliminação do pai; já o ego sabe que seu “concorrente” é mais forte e, portanto, não conseguirá vencer esse embate.

Como consequência, o inconsciente do menino vive um confuso sentimento de raiva e respeito pelo seu genitor. Nas mulheres, essa vontade é reconhecida no Complexo de Electra, outra personagem da cultura grega que também manifesta o desejo em eliminar a rival, no caso, a mãe.

Inicialmente, esse “conflito” pode impressionar pela violência dos sentimentos, mas é considerado fundamental para a construção e organização da personalidade de cada pessoa. Além de proporcionar uma oportunidade de se distanciar da onipotência causada pela relação com a mãe, “ainda está associado à percepção da diferença entre os sexos e o reconhecimento da autonomia dos pais, possibilitando o início de uma autonomia própria”, como explica a psicóloga especialista em sexualidade Roberta Baccarim de França.

LEIA TAMBÉM

Texto e entrevista: Thiago Koguchi – Edição: Giovane Rocha/Colaborador

Consultoria: Roberta Baccarim de França, psicóloga especialista em sexualidade

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.