Exercícios para o parto melhoram a saúde da mamãe e do bebê

Leia mais sobre o pompoarismo, exercícios pélvicos que fortalecem a musculatura, auxiliam na recuperação pós-parto e trazem muitos benefícios à saúde!

None
Garanta sua saúde com exercícios para o parto! (Foto: SHutterstock)

por Redação Alto Astral
Publicado em 26/04/2017 às 12:47
Atualizado às 16:06

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quando chega a hora do parto, muitas mulheres utilizam os músculos errados por não saber onde aplicar a força e empurrar o bebê. Quer evitar que isso aconteça com você? Então conheça o pompoarismo! Conversamos com Cátia Damasceno, fisioterapeuta com especialização em uroginecologia, que deu dicas de exercícios simples que fortalecem a musculatura pélvica e facilitam o trabalho departo. Confira!

Como funciona

O pompoarismo para grávidas é indicado a partir de 12 semanas de gestação e ajuda a mulher a criar uma consciência da musculatura pélvica. “O que geralmente acontece é que as mulheres quando estão em trabalho de parto concentram as forças nos braços, mãos e pescoço. Essa força deve ser focada na musculatura abdominal e do períneo”, explica a especialista, ressaltando que o certo é imaginar que está empurrando o umbigo para perto das costelas para, exatamente, empurrar o bebê. Já a musculatura do períneo tem que estar relaxada e não contraída.

Só benefícios!

A fisioterapeuta afirma que são inúmeras as vantagens: “Durante a gravidez, os exercícios melhoram a circulação sanguínea, além de desenvolver uma consciência vaginal. Ou seja, a grávida vai aprender fazer a força corretamente. Outro bom motivo para exercitar a musculatura pélvica é que evita a laceração, o risco de ter que fazer episeotomia (incisão na região do períneo que compreende a área muscular entre a vagina e o ânus para ampliar o canal de parto). E ainda tem mais: no pós-parto, a recuperação é praticamente imediata! E o exercício também ajuda a mulher voltar às atividades sexuais sem medo de ficar flácida”, revela.

Consulte seu médico

Os exercícios podem ser feitos por qualquer mulher, porém há contraindicação em casos como descolamento de placenta, cicatriz de cesárea prévia muito fina, entre outros. “Cada caso é um caso. Então, o mais indicado é sempre conversar com seu obstetra”, indica Cátia.

Faça os exercícios em casa!

“O exercício mais básico é a contração e o relaxamento. Contrai, segura e solta por cerca de 30 vezes e descansa um minutinho”, explica a especialista. Mas a ginástica íntima não deve ser feita quando for urinar.

Outro exercício é contrair a musculatura e segurar por 5 segundos e depois relaxar. A sessão deve ser repetida por 10 vezes seguidas com o intervalo de um minuto. “É importante que as mulheres saibam que se a ginástica for praticada não pode passar de 30 minutos por dia, podendo dividir em blocos de 5 minutos ou 10 minutos”, explica.

Cátia ainda esclarece que as mulheres podem continuar com os exercícios mesmo depois do parto, respeitando o tempo de recuperação: ”minha dica é que a mulher adote a prática para o resto da sua vida, aproveitando todos os benefícios para sua saúde e vida sexual”.

LEIA TAMBÉM:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.