Reencarnação: tire suas dúvidas

A Doutrina Espírita é muito conhecida pela sua crença na reencarnação do espírito. Leia mais e tire suas dúvidas!

Caminho que leva a luz
FOTO: iStock

Uma das bases da Doutrina Espírita é a crença na reencarnação do espírito. Entretanto, esse assunto é comumente acompanhado de muitas dúvidas. Como a reencarnação acontece? Quanto tempo demora para que o espírito reencarne novamente? Será que vai acontecer comigo? Leia a seguir as respostas para estas e outras perguntas.

Caminho que leva a luz

FOTO: iStock

1. Qual o objetivo da reencarnação?

O objetivo da reencarnação é promover a evolução do espírito. Quando nos encontramos na condição de desencarnados, ou seja, estamos no mundo espiritual desvinculados de um corpo físico, encontramo-nos na nossa verdadeira pátria. Porém, para que possamos colocar em prática e vivenciar os nossos conhecimentos, é necessária a participação no mundo físico realizando o contato com as experiências terrenas através de uma nova existência, o que se torna possível por meio da reencarnação.

2. Quanto tempo demora para alguém reencarnar?

Depende das necessidades de aprendizado do espírito em questão. Pode demorar de alguns dias até séculos. O que traz de volta à reencarnação um espírito é sua necessidade de expiação ou prova. Um espírito poderá voltar muito rapidamente por necessidade de aprendizado, ou mesmo em tarefas de auxílio à família ou à coletividade, em situações variadas. Todos esses itens são considerados numa programação, que é sempre acompanhada por espíritos mais experientes e sábios. Demorando-se no mundo espiritual, no entanto, poderá dedicar-se a estudar, ampliando os próprios conhecimentos e mesmo colaborando em tarefas de auxílio a outros espíritos em dificuldades, integrando equipes de trabalho em vários setores disponíveis no mundo espiritual.

3. Todos temos que reencarnar?

Com exceção dos espíritos de primeira ordem, todos os outros devem reencarnar sucessivas vezes, pois estamos em aprendizado constante. Em O Livro dos Espíritos, pergunta 168, Kardec esclarece: “A cada nova existência, o Espírito dá um passo para diante na senda do progresso. Desde que se ache limpo de todas as impurezas, não tem mais necessidade das provas da vida corporal. Para dar mais sentido à explicação da necessidade da reencarnação, pode-se apelar para a metáfora do teatro: é como se a vida fosse uma peça, sendo o presente apenas um ato; ao final desse ato, os atores se recolhem para avaliar o que foi feito, programar as próximas cenas e decidir se voltam a se apresentar”. Analogamente, ao término de cada passagem terrena, é possível avaliar a dimensão da evolução espiritual e, com ajuda dos mentores e dos “construtores da vida”, resolver se é melhor permanecer no plano espiritual, atuando positivamente em auxílio aos encarnados, ou se seria o momento certo de voltar à Terra.

LEIA TAMBÉM

4. Para que reencarnamos?

O processo de reencarnação nunca acontece sem um objetivo ou motivo, ou seja, os seres podem estar em missão, provação ou expiação. A missão é a incumbência, a tarefa ou o poder conferido a alguém para realizar algo, contudo encarnar em virtude de uma missão somente ocorre para uma minoria de espíritos. A provação é o ato ou efeito de provar e geralmente é sofrida por alguém, a fim de determinar se já possui condições de vencer as vicissitudes e percalços da vida. Há a provação da pobreza, da riqueza, da inteligência, etc. Em expiação acontece a grande parte das reencarnações, ou seja, a razão é o pagamento de débitos adquirido sem vidas anteriores ou nesta mesma vida. Como uma espécie de castigo ou penitência, é o resultado do mau procedimento do indivíduo perante a lei de Deus, que está escrita na consciência de cada um. “O certo é que Deus é Pai e Criador e não quer a destruição do pecador, mas a sua recuperação e a sua educação para a plenitude do existir com Ele. Na natureza não há castigos nem recompensas, mas consequências”.

Consultoria: Nazil Canarim Junior, expositor do Centro Espírita Amor e Caridade, Bauru (SP)
Edição: Júlia Martins/Colaboradora | Design: Aline Barudi