A importância da reeducação alimentar para o emagrecimento saudável

Nada de dietas malucas! Livrar-se dos maus hábitos e apostar na reeducação alimentar torna possível evitar doenças e viver uma vida mais saudável

Foto: Shutterstock.com

Não é todo mundo que consegue fazer dieta por muito tempo, ainda mais quando elas são restritivas. Problemas de saúde podem surgir ou ainda a compulsão alimentar voltar e fazer com que você recupere os quilinhos em menos tempo do que levou para perder. Veja porque a reeducação alimentar é o melhor caminho para perder peso sem sacrifício.

Reeducação alimentar

Ela é um processo de mudança de hábitos, que leva em conta características individuais e não serve apenas para reduzir medidas ou fazer a pessoa passar fome. “Um corpo desnutrido, inflamado, intoxicado e submetido a um estresse oxidativo fica mais propenso a contrair doenças, que vão desde diabetes e hipertensão até depressão e mal de Alzheimer”, explica a nutricionista Stela Besso.

Cardápio pessoal

Ele é individual porque é baseado nos gostos, rotina e objetivos da pessoa. Em comum com a reeducação alimentar ele restringe frituras e doces em excesso, prioriza carnes magras, substitui carboidratos simples pelos integrais e inclui porções ideais de legumes, verduras e frutas. A proposta também consiste em fazer trocas saudáveis, como bifes à milanesa por grelhados, refrigerantes por sucos, queijos amarelos por queijos brancos, entre outras. Além disso, o prato deve ser bem colorido, diversificado e o mais natural possível.

Desde pequeno

É na infância que as crianças adquirem bons hábitos como ter uma alimentação equilibrada e praticar exercícios regulares. “Crianças devem ser levadas às compras para conhecer os legumes e entrar na cozinha para ajudar no preparo, claro que de acordo com a idade e de forma lúdica”, explica Stela. É nessa fase que devem ser introduzidos alimentos saudáveis, aos poucos, até elas se acostumarem. “Além disso, é fundamental o exemplo dos pais. Casas onde a mãe e o pai se alimentam bem, em geral, as crianças acompanham”, completa a nutricionista.

Consultoria: Stela Besso, nutricionista especializada em nutrição clínica e terapia nutricional 

LEIA TAMBÉM