Baratas e pernilongos: saiba como eliminar essas e outras pragas

Ratos, baratas e pernilongos têm algo em comum: são pragas! Costumam surgir em grande quantidades e podem transmitir doenças. Saiba como eliminá-los!

Chão, mosaico, formigas
Foto Shutterstock.com

Ratos, baratas e pernilongos são só algumas das pragas que podem aparecer nas casas – e, diferente do que muitos pensam, não estão restritas às zonas rurais: esses bichos costumam aparecer com bastante frequência em centros urbanos. Eles passam por esgotos, alimentos estragados e outros caminhos sujos e, por isso, carregam uma série de bactérias. Quando surgem em casa, é um desespero só: geralmente aparecem em grandes quantidades. Está passando por esse problema? Veja como eliminar as temidas pragas do ambiente de sua casa!

Chão, mosaico, formigas

Foto Shutterstock.com

1 – Formigas

Entram em casa carregadas, como em sacolas de supermercado. Costumam se estabelecer na cozinha, já que a maior parte do que é levado para dentro fica lá, mas também podem aparecer em outros cômodos. “Para uma formiga, uma gota de suor, um resto de bebida num copo ou até a cola de um livro têm muito alimento”, explica Claudio Salem, presidente da Associação Brasileira de Controle de Vetores e Pragas (ABCVP).
Como evitá-las: mantenha a casa sempre limpa e cuidado ao levar pacotes e sacolas para dentro. “O ideal é que o que não será utilizado nem entre em casa, como a embalagem plástica que envolve 6 garrafas de refrigerante”, diz Salem.
Solução: caso as formigas já estejam na sua casa, em vez de inseticidas, use iscas: as formigas-operárias carregam o veneno até a colônia e morrem todas.

2 – Baratas

Segundo o presidente da ABCVP, as baratas podem causar alergias em crianças e infecções alimentares.
Como evitá-las: mantenha a casa limpa e cuidado para não transportá-las com as compras.
Solução: uma vez dentro de casa, use iscas para exterminá-las. Uma barata come a isca e morre. As outras se alimentam do corpo dela e, consequentemente, da isca. Assim, uma barata acaba matando várias outras.

3 – Ratos

A maior parte chega na sua casa em busca de abrigo. Pode ser por diminuição de temperatura, enchentes ou expulsão da colônia.
Como evitá-los: para evitar que apareçam, abra a despensa a cada dois meses, veja se não há produtos vencidos e limpe todo o armário.
Solução: caso encontre sinais de presença de ratos, como objetos roídos, fezes pelos cantos e cheiro de urina, chame uma empresa que faça a busca e a eliminação do invasor. “Os raticidas têm ação também nas pessoas e nos animais de estimação, ao contrário dos inseticidas, e representam um perigo para a saúde”, explica Claudio Salem.

Leia também:

4 – Cupins

Há dois tipos: o subterrâneo e o de madeira seca. O primeiro se alimenta de raízes das plantas ou restos de madeiras usadas na construção que ficaram debaixo do solo. Quando o material acaba, o inseto pode entrar nas casas. Para se livrar desse tipo, é preciso contratar uma empresa. “A pessoa que faz a obra deve tirar todas as madeiras que usou, jogando fora ou reaproveitando-as em outra construção”, orienta Claudio Salem.
Como evitá-los: os cupins de madeira seca já vêm no móvel ou entram na casa em revoadas. Ao adquirir o móvel, observe se tem furinhos ou resíduos de madeira caídos. Se tiver, peça para trocar.
Solução: para que não entrem em revoadas, feche as janelas. Mas, se os cupins já estiverem na sua casa, apague as luzes ou deixe uma vasilha de água debaixo da lâmpada. “A intenção é que o inseto morra na vasilha de água, não tendo a chance de cair no chão e migrar para alguma peça de madeira”, explica Salem.

5 – Pernilongos

O tipo que mais incomoda, segundo Claudio Salem, é o Culex quinquefasciatus, que aparece perto de rios poluídos.
Como evitá-los: mantenha as janelas fechadas ou com telas logo após o entardecer para impedir que entrem.
Solução: segundo o especialista, as velas de citronela não são suficientes para afastá-los. “O geraniol, que é um álcool presente no óleo essencial da citronela, funciona como repelente. O problema é a quantidade de óleo de citronela que tem nos produtos comerciais: é muito pequena”, alerta.

 

Consultoria Claudio Salem, presidente da Associação Brasileira de Controle de Vetores e Pragas (ABCVP)