Pilates para idosos: 9 benefícios da prática após os 60 anos

9 motivos para fazer pilates após os 60 anos

Para ajudar a manter a boa qualidade de vida na terceira idade, aposte nos efeitos positivos desta prática

Pilates para idosos
Foto: Getty Images

Que o exercício é benéfico para saúde, a maioria já sabe! Mas, por que pilates para idosos é recomendado? Após os 60 anos de idade, devido ao processo de envelhecimento e fatores como sobrepeso, sedentarismo e doenças crônicas, é comum surgirem dificuldades de mobilidade, flacidez nos músculos, perda de massa muscular, da densidade óssea, do equilíbrio e da coordenação.

Segundo a fisioterapeuta e especialista em pilates Walkiria Brunetti, tudo isso colabora para o aumento do risco de lesões e prejudica a autonomia dos idosos – consequentemente, sua qualidade de vida. “A prática de atividades físicas é recomendada como forma de melhorar a mobilidade, assim como para minimizar os efeitos da idade na musculatura e na estrutura óssea”, explica.

Razões que levam o pilates para idosos ser uma excelente escolha

  • Possui baixo impacto

O pilates para idosos é uma atividade de baixo impacto e isso é de extrema importância para aqueles que já passaram dos 60 anos, pois não piora ou não desencadeia desgaste nas articulações. Também é ideal para os sedentários, pois as aulas e movimentos podem ser personalizados de acordo com o condicionamento de cada um. Então, é possível começar devagar e aumentar a intensidade de acordo com a característica de cada um.

  • Combate a osteoporose

1 em cada 3 mulheres e 1 em cada 5 homens irá desenvolver a osteoporose . O pilates promove a remodelagem dos ossos por meio de exercícios de tensão e tração. Além disso, ao fortalecer os músculos, protege o corpo de possíveis fraturas.

  • Trata a incontinência urinária

Entre os benefícios mais surpreendentes do exercícios está o tratamento de incontinência urinária. Segundo um estudo publicado pela revista médica BMC Women’s Health, a prática de exercícios de pilates modificados colabora para fortalecer a musculatura pélvica e diminuir os efeitos da incontinência urinária em mulheres.

  • Reduz o risco de quedas

No processo do envelhecimento, há perda importante do equilíbrio e da coordenação, aumentando o risco de quedas. E é aqui que entra o pilates! Um estudo realizado pelo George Institute for International Health, na Austrália, apontou que a prática por idosos reduz o risco de quedas em até 17%.

  • Garante mais flexibilidade

A flexibilidade é algo que se perde ao longo do tempo. Por exemplo, aos 40 anos já pode ser mais difícil calçar um sapato com fivela. Já aos 60, isso pode ser impossível! O pilates melhora a esse aspecto, pois aumenta a amplitude dos movimentos. Com isso, traz mais independência para o idoso.

  • Melhora a postura

As pessoas da terceira idade costumam desenvolver a cifose (corcunda), já que acabam se curvando mais para a frente. Isso pode acontecer devido a um vício de postura ou também quando a osteoporose atinge a coluna. O pilates age melhorando a postura e trazendo consciência corporal.

  • Previne dores na coluna

Ao trabalhar a postura e realizar o fortalecimento muscular do CORE (músculos que sustentam e estabilizam a coluna), o exercício ajuda a combater as dores nas costas, típicas da terceira idade.

  • Pode ser usado na reabilitação

O pilates também pode ser útil na reabilitação de acidentes, lesões ou, ainda, de condições como um acidente vascular cerebral (AVC). Normalmente, é recomendado após a fisioterapia como fator preventivo e para melhorar a qualidade de vida. Um estudo mostrou que durante a reabilitação ele ajuda a combater a dor e a incapacidade.

Leia também: