9 passos para a reeducação alimentar!

Aprenda como perder os quilinhos indesejados sem grandes dietas e de uma maneira saudável. O segredo está na reeducação alimentar!

relogio reeducacao alimentar
Foto: Shutterstock

Quem disse que para emagrecer é necessário passar fome? Ou, então, entrar em dietas radicais que eliminam os seus alimentos preferidos do cardápio? Nada disso é necessário se você tiver foco e determinação e começar uma reeducação alimentar. Reeducar o seu organismo em relação aos alimentos ingeridos é uma ação para a vida toda, e não apenas uma dieta que tem começo e fim. Por meio da mudança de postura, é possível, além de emagrecer, ter uma vida longa e com qualidade. “A reeducação alimentar consiste num processo de transformação e mudanças favoráveis a hábitos alimentares saudáveis, mas sem esquecer a individualidade e o prazer em comer bem. Proporciona conhecimento para que se possa fazer escolhas no dia a dia, como num restaurante, festa, bar, entre outras situações”, complementa a nutricionista Ana Raquel Bucar.

Reeducação alimentar prato saudável

Foto: Shutterstock

Dicas básicas

Para iniciar uma reeducação alimentar é necessário seguir alguns passos:

 

 

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

 

1.Monte pratos coloridos: alimentos de diferentes cores carregam consigo diferentes nutrientes. Quanto mais cor estiver no prato, mais nutrientes estarão presentes.

2.Não coma enquanto assiste à televisão: é preciso se concentrar no ato de comer. Quem não tira os olhos da tela enquanto realiza suas refeições deve saber que, assim, o organismo demora para perceber que já está satisfeito. O resultado? Você come mais do que gostaria, mas só se dá conta disso tarde demais.

3.Prefira os produtos integrais: as versões refinadas do açúcar ou da farinha podem até parecer mais saborosas. O problema é que, no processo químico de refinamento, boa parte dos nutrientes vai embora e sobram calorias vazias, que irão saciar menos a fome.

 

Saleiro, sal derramado, fundo azul

Foto: Shutterstock

4.Modere no sal: o problema está na quantidade de sal usado. A Organização Mundial da Saúde (OMS) indica menos de 5g por dia – o que dá menos de uma colher (chá) rasa.

5.Leia o rótulo: fique atento aos alimentos diet e light, já que o primeiro só pode ser aplicado a alimentos destinados a dietas com restrição de nutrientes, como carboidrato, gordura, proteína ou sódio. E o segundo em produtos que tenham baixo ou reduzido valor energético ou valor nutricional. No começo parece ser difícil consultar a tabela nutricional dos produtos, mas com o passar do tempo se tornará um hábito.

6.Alimente-se de 3 em 3 horas: grandes intervalos entre as refeições deixam o metabolismo mais lento, o que prejudicará a absorção dos carboidratos, que serão depositados na forma de gordura. Entre café, almoço e jantar, faça pequenos lanches.

 

mulher correndo esteira

Foto: Shutterstock 

7.Exercite-se: não adianta ter uma alimentação equilibrada se você não praticar exercícios. A atividade física irá ajudar a queimar calorias e liberar na circulação substâncias que garantem prazer, o que amenizará até o estresse.

8.Cuidado com os doces: quando tiver vontade de comê-los, opte pelos caseiros ou light, evite exagerar no leite condensado, chocolate ou bolos.

9.Não vá ao mercado com fome: essa atitude pode impulsionar a compra de alimentos calóricos e desnecessários.

Muitos benefícios

A reeducação alimentar proporciona além do emagrecimento, a não recuperação dos quilos perdidos. Os benefícios à saúde são inúmeros. “Há melhoria de diversos aspectos relativos à saúde como redução dos níveis de triglicerídios, glicose, colesterol ruim (LDL), colesterol total, aumento do bom colesterol (HDL), sono mais tranquilo e maior disposição”, pontua a nutricionista Noadia Lobão.

Orientação especializada

Para mudar os maus hábitos já adquiridos, também é necessário consultar um especialista em saúde, já que ele pode definir o que você deve fazer para alcançar seu objetivo. “Deve-se procurar um nutricionista, que é o profissional especializado para passar as orientações específicas para cada indivíduo, já que as necessidades variam de acordo com cada pessoa. A individualidade deve ser sempre respeitada”, explica a nutricionista Mayra Madi Correia.

 

Texto: Redação Alto Astral

Consultoria: Ana Raquel Bucar, Mayra Madi Correira e Noadia Lobão, nutricionistas

 

LEIA TAMBÉM: