Para funcionar, suco verde merece cuidados especiais

Cuidados na hora de comprar, armazenar e preparar o seu suco verde podem influenciar na qualidade da bebida

Preparo correto do suco verde
Foto: Shutterstock Images

Para garantir todos os nutrientes das frutas, legumes e hortaliças, a regra de ouro é fazer o suco verde com alimentos fresquinhos e saudáveis. “Quanto mais machucado e deteriorado o alimento, mais oxidado ele estará, o que significa que sua função antioxidante regenerativa estará comprometida”, ressalta a chef de cozinha Letícia Vilardo. Mas os cuidados, que começam com a compra e a escolha dos vegetais, também se estendem ao armazenamento e o correto preparo do suco. Confira as dicas!

1. Prefira as feiras livres. Onde os alimentos costumam chegar fresquinhos todos os dias, ou descubra o dia em que os alimentos são entregues no supermercado.

2. Atenção ao carrinho! Quando realizar as compras em supermercados, deixe a seleção de legumes, frutas e verduras para o final, assim é fácil evitar que eles se amassem e iniciem o processo de deterioração misturados ou sobrepostos por outros itens.

Preparo correto do suco verde

Foto: Shutterstock Images

3. Sustentabilidade é saúde! Na feira ou supermercado, utilize sua própria sacola de compra. “Além de ser uma atitude ecológica, pode reduzir o contato e contaminação causado por sacolas plásticas nos alimentos”, orienta a chef.

4. Valorize os produtos locais. Produções abundantes dispensam agrotóxicos, pois as frutas simplesmente caem do pé, como é o caso das mangas, abacates, goiabas, bananas e mamões no Brasil. Já os morangos, cerejas, maçãs e figos viajam léguas, portanto, podem apresentar maior teor de produtos químicos na sua produção.

5. Respeite a sazonalidade. Alimentos da época costumam ser mais saudáveis e também mais baratos. “Coube à natureza reservar uma melhor estação para cada insumo, normalmente é através do uso de agrotóxicos que o homem consegue modificar ou ampliar esse cenário. Identificar esses alimentos não é nada complicado, já que a alta da produção ou safra também se reflete nos preços”, afirma Letícia.

Suco verde feito com alimentos frescos no liquidificador

Foto: Shutterstock Images

6. Armazenagem correta. Sempre que possível, prefira embalagens de vidro, louça ou cerâmica e guarde-os na geladeira. “O plástico é um derivado do petróleo oferece riscos comprovados à nossa saúde”, enfatiza a chef. Se for usar o saquinho plástico,  faça pequenos furos na embalagem. Assim, as frutas, legumes e verduras podem respirar e não se estragam rapidamente, evitando o ressecamento.

7. Para durar mais. Os grandes vilões da conservação dos alimentos são o calor, a luz e o oxigênio. “Por isso, a maioria destes insumos devem ser mantidos em geladeira, em recipientes vedados e protegidos do sol e abrigo da luz direta”, orienta Letícia. Entretanto, tomates, bananas, batatas, cebolas, alho e berinjela se conservem melhor a temperatura ambiente. No freezer, a maioria das frutas conservam-se bem se congeladas na forma de polpa.

8. Fuja da umidade! Pois ela pode influenciar negativamente na conservação de alguns alimentos. Portanto, observe se as frutas, verduras e legumes estão secos antes de ir à geladeira e envolva as folhas verdes em camadas de papel toalha, trocando sempre que necessário.

9. Mantenha os orgânicos separados. “Isso evita a contaminação por produtos químicos ou resíduos de agrotóxicos dos alimentos não-orgânicos”, explica a nutricionista Raquel Amaral Marques.

Lavagem correta dos vegetais

Foto: Shutterstock Images

10. Limpe-os corretamente. Todos os alimentos devem ser corretamente higienizados antes do consumo. “Apesar do processo ser trabalhoso, é fundamental para prevenir doenças e infecções causadas por germes e bactérias”, alerta a chef. Quando for higienizar, lave as hortaliças em água corrente para remover terra, sujeiras ou outros contaminantes físicos. Após, deixe-as de 15 a 20 minutos imersas em um recipiente contendo 1 colher (sopa) de água sanitária para cada litro de água. Por fim, passe as hortaliças novamente em água corrente.

11. Evite a contaminação cruzada. Para evitar a transferência de micróbios causadores de doenças, antes de manipular os alimentos é importante lavar as mãos, manter a pia, tanque ou bancada limpos e se atentar para os utensílios que serão utilizados, como as louças, facas, tábuas de cortar e até mesmo os recipientes para armazená-los. Embora seja fácil de prevenir, esse fator é apontado como a maior causa de intoxicações alimentares. Pelo mesmo motivo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) também recomenda que os alimentos crus fiquem separados dos cozidos.

Texto: Larissa Faria | Consultoria: Letícia Vilardo, chef de cozinha e coautora do livro Alimentos Funcionais – A prevenção começa na mesa (Editora Pandorga); Raquel Amaral Marques, nutricionista