Papa Francisco pede por recordação de Jesus em homilia de Corpus Christi

"A memória é importante, porque nos permite permanecer no amor". Confira a homilia do Papa Francisco que pede a recordação de Jesus no dia de Corpus Christi

Na imagem, o Papa Francisco está de costas para a câmera, de frente para o povo e o símbolo da eucaristia. Recordação de Jesus.
(Foto: Reprodução/Copyright L’Osservatore Romano)

No dia de Corpus Christi, o Papa Francisco celebrou sua missa no feriado e, em sua homilia, pediu pela recordação de Jesus Cristo, que alimenta o seu povo com seu corpo e seu sangue representados pela hóstia e o vinho. Assim, confira a mensagem do pontífice aos fiéis.

“Recordar é essencial para a fé, como a água para uma planta”, diz o pontífice, já que a planta não pode crescer e nem dar frutos sem água. “Recorda-te. A memória é importante, porque nos permite permanecer no amor, permite recordar, isto é, trazer no coração, não esquecer quem nos ama e a quem somos chamados a amar”, pede o sumo cardeal.

A vida frenética da contemporaneidade faz muitas informações se passarem, faz as pessoas quererem mais desse alimento tecnológico, dessa curiosidade do mundo, que tudo na vida passa rápido demais. As pessoas são ricas em novidades e pobres em recordação. “Contudo a solenidade de hoje recorda-nos que, na fragmentação da vida, o Senhor vem ao nosso encontro nos panos duma amorosa fragilidade, que é a Eucaristia. […] Porque a Eucaristia é o memorial do amor de Deus”, diz o Papa Francisco.

Na imagem, o Papa Francisco carrega o símbolo da Eucaristia nas mãos com olhar sério e o povo olha para o papa. Recordação de Jesus.

Papa Francisco pede por recordação de Jesus em homilia de Corpus Christi (Foto: Reprodução/Copyright L’Osservatore Romano)

“Na Eucaristia, temos todo o gosto das palavras e gestos de Jesus, o sabor da sua Páscoa, a fragrância do seu Espírito. Ao recebê-la, imprime-se no nosso coração a certeza de sermos amados por Ele”, divaga o santo padre. Assim, a Eucaristia lembra aos fiéis não são apenas indivíduos, mas um corpo, uma Igreja. Não só agora, mas a todos que um dia pertenceram a essa união, todos que passaram no deserto com Moisés e que comeram o maná dado por Deus, tanto daqueles perseguidos por sua fé, e todos que ensinaram a cada nova geração as palavras do Senhor.

“A Eucaristia é o sacramento da unidade. Quem a recebe não pode deixar de ser artífice de unidade, porque nasce nele, no seu ‘DNA espiritual’, a construção da unidade. Que este Pão de unidade nos cure da ambição de prevalecer sobre os outros, da ganância de entesourar para nós mesmos, de fomentar discórdias e disseminar críticas; que desperte a alegria de nos amarmos sem rivalidades, nem invejas, nem murmurações maldizentes”, termina o Papa Francisco.

LEIA TAMBÉM

Texto: Camila Ramos