Papa Francisco faz uma crítica à hipocrisia em sua meditação matinal

Em sua meditação matinal, o Papa Francisco fez uma crítica à hipocrisia e disse como os bajuladores destroem a Igreja. Confira a mensagem do pontífice!

Na imagem, o papa francisco está sério, com trajes de papa, caminhando para iniciar sua missa. Critica a hipocrisia.
(Foto: Reprodução/Copyright L’Osservatore Romano)

“Um cristão verdadeiro não pode ser hipócrita e um hipócrita não é um verdadeiro cristão”, começa o Papa Francisco com sua crítica à hipocrisia em sua meditação matinal, missa celebrada na capela da casa de Santa Marta, onde reside o pontífice. Nela, o papa falou de forma clara e objetiva, sem ter meias palavras ou ser “duas caras”, como ele critica.

O pontífice começa citando trechos do Evangelho, no qual Jesus nomeia o que ele chama de “doutores da lei” de hipócritas, ou seja, “mostram uma realidade mas pensam outra. Falam, julgam, mas por detrás é outra coisa”, diz e reafirma: “a hipocrisia não é a linguagem de Jesus. A hipocrisia não é a linguagem dos cristãos”.

O Papa Francisco, então, ressaltou que o hipócrita é um adulador, é uma pessoa que bajula, que trata bem por interesse, que manipula, e, segundo o santo padre, “a adulação começa assim mas com más intenções”. “É a técnica do hipócrita: mostra-te que te estima, exalta-te, a fim de alcançar a sua finalidade”, explica Francisco. Segundo ele, o hipócrita nunca é sincero, sempre bajula para conseguir algum benefício.

Na imagem, a mão do Papa Francisco está sobre o papel de discurso em seu púlpito de madeira. Critica a hipocrisia.

Papa Francisco faz crítica à hipocrisia em sua meditação matinal (Foto: Reprodução/Copyright L’Osservatore Romano)

A linguagem do hipócrita, conforme o papa, é a linguagem da mentira, da manipulação, e ele faz uma referência: “é a mesma linguagem da serpente a Eva, a mesma. Começa com a adulação: ‘Não… se comerdes isto sereis grandes, conhecereis tudo…’, para a destruir”. Em outro momento o pontífice lembra de uma passagem, a qual Jesus pediu uma moeda para mostrar a realidade, e assim, disse “Dai a César o que é de César”, no caso a moeda que estampava seu rosto, “e a Deus o que é de Deus”.

Por fim, o Papa Francisco diz que palavras claras fazem compreender quão mal a hipocrisia faz à Igreja. “O hipócrita é capaz de matar uma comunidade. Enquanto fala docemente julga com brutalidade uma pessoa. O hipócrita é um assassino”, diz o pontífice e reitera que a resposta para a hipocrisia e bajulação é a verdade, a realidade. E assim termina: “peçamos ao Senhor que nos guarde para não cairmos neste vício da hipocrisia, de disfarçar o comportamento para esconder as más intenções. Que o Senhor nos conceda esta graça: ‘Senhor, que eu nunca seja hipócrita, que saiba dizer a verdade e se não puder dizê-la, que me cale, mas nunca, nunca a hipocrisia'”

LEIA TAMBÉM

Texto: Camila Ramos