Renove sua fé conhecendo a história original da Páscoa

Saiba o verdadeiro significado desta data, que vai muito além dos chocolates e dos coelhinhos

significado da Páscoa
Foto: Art Stocker/Shutterstock

Depois da Quaresma, chega o momento de celebrar uma das datas mais importantes para a fé cristã: a ressurreição de Cristo. Mesmo sendo bastante conhecida, nem todo mundo sabe, ao certo, o que cada data da Semana Santa representa, ou até mesmo o significado da Páscoa, que vai muito além do chocolate e dos coelhos.

Entenda melhor sobre a celebração e o significado da Páscoa

A festa

A Páscoa é uma festa cristã que celebra a ressurreição de Jesus Cristo. Depois de sua morte, pregado na Cruz, seu corpo foi colocado em um sepulcro e ali ficou até subir aos Céus, para ficar ao lado do Pai.

A origem

O início da celebração da Páscoa é contada pela história judaica no livro conhecido por “Êxodo”, relatado na Bíblia. Êxodo quer dizer saída, ou seja, o livro relata a saída dos judeus do Egito. Segundo o livro sagrado, na semana em que os judeus iam começar sua jornada, Deus ordenou que comessem apenas pão, sem fermento. No último dia, estariam fora do Egito, o que deu origem à comemoração da primeira Páscoa, passando a data de geração a geração.

Semana Santa

A história da Salvação, maior celebração cristã, é contada através dos tempos pelo drama da Paixão, morte e ressurreição de Jesus. A festa tem início no Domingo de Ramos e termina no domingo de Páscoa. Essa data é responsável pela abertura das comemorações, recordando as palmas que festejaram a entrada de Jesus em Jerusalém.

Na Quinta-feira Santa, dois importantes momentos são recordados. O primeiro é quando Cristo lava os pés dos discípulos. O segundo, que acontece nas missas até os dias de hoje, é o sacramento da Eucaristia durante a Última Ceia, Jesus entregou seu corpo e sangue a seus discípulos, representados pelo pão e vinho.

Os três principais dias e seus ritos

Sexta-Feira Santa

Nesse dia, os cristãos revivem o sofrimento e a morte de Cristo no Calvário. Depois da traição de Judas, Jesus é entregue aos romanos, abandonado por seus discípulos e negado três vezes por Pedro. Após passar por diversas humilhações e maus-tratos, Pilatos o julgou e condenou à morte, sendo crucificado.

José de Arimatéia, um senhor que morava na região, pede o corpo de Cristo a Pilatos, o enrola em um lençol de linho e faz o sepultamento na presença de Maria Madalena e Maria mãe de Jesus. Na Sexta-feira Santa não é realizada missa em nenhum lugar do mundo. Apenas deixa-se o altar das igrejas iluminado, sem toalha, sem cruz e nem velas.

Sábado de Aleluia

Segundo a tradição popular, é nesse dia que acontece a Malhação de Judas. Esse costume foi trazido para o Brasil por portugueses e espanhóis e ainda é muito comum no país. Na noite de Sexta-feira Santa, bonecos de palha ou de pano são pendurados em árvores ou postes públicos.

Para que, no Sábado de Aleluia, ao meio-dia, sejam rasgados e queimados, fazendo com que as forças do mal sejam destruídas junto com o boneco. O povo mais antigo costuma realizar o julgamento, a condenação e a execução de Judas. Antes do cumprimento da pena, lê-se o testamento de Judas que é colocado no bolso da roupa do boneco.

Domingo de Páscoa

Na manhã de domingo, Maria Madalena, Joana, mãe de Tiago, e Maria foram visitar o túmulo de Jesus e o encontraram aberto. A rocha que fechava o sepulcro tinha sido retirada. Surpresas, receberam o aviso da Ressurreição de Cristo. Desse momento em diante, o significado da Páscoa passou a simbolizar o nascimento de uma nova oportunidade e a esperança.

Leia também: