Orar pode prevenir a perda de memória e outros males, diz pesquisa

Pesquisa divulgada por empresa americana afirma que orar todos os dias ajuda a prevenir a perda de memória, o Mal de Alzheimer e outros males. Saiba mais!

orar mãos monges crianças
Foto: Reprodução/Pixabay

O ato de rezar traz diversos benefícios para o corpo humano e isso já foi comprovado pela ciência. Dentre algumas pesquisas, está a divulgada pelo NewsMax Health (grupo norte-americano especializado em saúde), na qual pesquisadores descobriram que orar todos os dias durante um mesmo período ajuda a prevenir a perda de memória e o Mal de Alzheimer.

De acordo com o psicólogo João Alexandre Borba, essa pesquisa ajudou a descobrir mais de 47 benefícios adquiridos e provados cientificamente com a prática diária da oração. “Os mais relevantes foram a diminuição da dor, da ansiedade e da depressão, além de melhorias significativas no sistema imunológico”, ressalta.

orar mãos monges crianças

Orar e pensar positivamente são fatores importantes para a saúde da mente e do corpo (Foto: Reprodução/Pixabay)

Oração e saúde

A crença em divindades faz parte de uma cultura milenar. E, até hoje, os deuses, santos, orixás e outras figuras estão presentes nas mais diversas crenças. Mas como ter fé ou seguir uma religião ajuda o ser humano? Em momentos difíceis, como quando um parente está enfermo, após a morte de um ente querido ou em tratamento contra uma doença, ter fé pode atuar como uma luz no fim do túnel.

Por conta disso, para muitas pessoas, o ato de rezar traz benefícios como calma ou elevação da autoestima. De acordo com a psicóloga Márcia Orsi, “a fé é individual, portanto, cada um tem uma forma de acreditar, mas é importante dizer que a fé pode ajudar ou atrapalhar. A fé auxilia quando a pessoa acredita que a figura de fé é sinônimo de amparo, e isso gera nela uma tranquilidade. Por outro lado, a fé atrapalha quando é algo que reprime, fazendo com que a pessoa se torne vingativa e ansiosa”.

Se diversos resultados positivos foram coletados, por outro lado, existem aqueles indivíduos que confiam cegamente em um ser divino e resolvem abandonar tratamentos médicos, por exemplo, aguardando um milagre ou esperando curar-se do dia para a noite.

LEIA TAMBÉM

Texto: Érica Aguiar | Edição: Érika Alfaro | Consultorias: Márcia Orsi e João Alexandre Borba, psicólogos