5 provas de que os opostos podem se atrair no amor

Mais que se atraírem, há quem diga que opostos combinam como qualquer outro elemento. Confira se no amor os opostos realmente se atraem!

Por Laís Modelli - 15/03/2016
Casal em harmonia, deitado no chão com as mãos dadas

FOTO: iStock.com/Getty Images

“Queijo com goiabada”, “chocolate com pimenta”… Mais que se atraírem, há quem diga que opostos combinam como qualquer outro elemento. E no relacionamento, será que pessoas muito diferentes também podem dar certo?

Para responder essa pergunta, conversamos com o terapeuta sexual Sergio Savian. Se você vive um relacionamento com alguém que pensa e se comporta muito diferente de você, confira as dicas abaixo.

As diferenças entre casal

Foto: Ablestock e Keydisc

 

1. Os desafios são maiores, mas a troca de experiências também

Já imaginou como seria o mundo se todos as pessoas gostassem só de uma mesma cor, de uma mesma música, de uma mesma roupa e de uma mesma comida? Será que por serem tão parecidas, as pessoas brigariam menos?

Pois saiba que semelhança não é garantia de uma relação perfeita. O que importa para uma relação, seja ela amorosa ou só de amizade, é respeito pelo outro. “Ao conviver com as diferenças, ampliamos a tolerância e a paciência e isso é o que nos torna melhores”, explica Sergio Savian.

2. Aprendendo a se conhecer através do outro

Antes de apontar o defeito de qualquer pessoa, é preciso se conhecer muito bem. Saber o que realmente te faz mal e o que só é um comportamento diferente do seu é o primeiro passo para fazer acordos em um relacionamento. “Com autoconhecimento você identifica o que quer e o que não quer para si e negocia a continuidade da relação respeitando ambas as partes.

Ao invés de brigar por sua posição, você pode negociar as situações, indica o terapeuta sexual. Ou seja: para um relacionamento dar certo, é importante que você saiba até que ponto você ficará bem abrindo mão do que você acredita.

3. Negociando com o parceiro

Antes de negociarem algo, é preciso que os dois entendam que até os mais parecidos têm suas diferenças. Ou seja, mesmo que vocês entrem em um acordo, o outro continuará se sentindo de um jeito diferente, mas isso não deve interferir no respeito que um tem pelo outro.

Entendido isso, outro passo para uma negociação saudável é nunca perder o controle ou se exaltar quando defender sua opinião. Uma boa forma de fazer isso é desenvolvendo a capacidade de colocar limites, expressando o ‘não’ quando ele for necessário”, aconselha o profissional.

4. Acredite que os opostos podem se atrair 

Segundo Sergio, os opostos se atraem sim! E não é só no amor não, é na cama também. “É verdade que opostos se atraem, inclusive sexualmente. Pessoas muito iguais se tornam mais amigas que amantes”, afirma o terapeuta sexual.

5. Veja o que dizem os signos 

Pessoas que pertencem ao mesmo signo são consideradas “irmãs astrais”, pois costumam pensar e agir de forma parecida. (Ex: Áries com Áries.) Já signos diferentes, mas com o elemento em comum costumam ser compatíveis no amor. São eles:

Terra: Touro, Virgem e Capricórnio.
Fogo: Áries, Leão e Sagitário.
Ar: Gêmeos, Libra e Aquário.
Água: Câncer, Escorpião e Peixe.

Texto: Laís Modelli
Consultoria: Sergio Savian, terapeuta sexual e autor de livros sobre a vida em casal. Atualmente está em cartaz com a peça “A Maçã”, também relacionada com o tema. Para mais informações, acesse www.sergiosavian.com.br.

LEIA TAMBÉM