Anvisa encontra substâncias tóxicas em páprica e suspende comercialização

A Anvisa encontrou substâncias tóxicas em páprica de duas marcas conhecidas e determinou a suspensão da venda; saiba quais são

None
As marcas Kitano e Mestre Cuca devem recolher os lotes determinados pela Anvisa

por Wanessa Bighetti
Publicado em 12/05/2017 às 08:36
Atualizado às 14:35

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) encontrou substâncias tóxicas em páprica das marcas Kitano e Mestre Cuca e proibiu a distribuição e venda dos lotes em todo o Brasil.

A irregularidade estava no alto teor de micotoxina ocratoxina. A substância, formada por fungos, é comumente encontrada em cereais, café e temperos, porém, as empresas produtoras precisam respeitar o limite autorizado pelos Ministério da Saúde. Isso porque a micotoxina ocratoxina tem propriedades cancerígenas, tóxicas à imunidade, ao sistema nervoso e ao cérebro.

As substâncias tóxicas em páprica foram encontradas nos seguintes produtos:

  • páprica doce 15g, da marca Mestre Cuca e n° 2086.CP, lote 160815 com validade até 25/08/17;
  • páprica 50g, da marca Kitano, lote  H2L-H6EJ com validade 14/05/17.

A Kitano, comercializada pela empresa General Mills Brasil Alimentos Ltda, e a Mestre Cuca, da FFAMM Comercial de Alimentos Ltda, deverão recolher os lotes determinados.

LEIA TAMBÉM

TAGSANVISA

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.