NOTÍCIAS

Telecinese: o que a ciência pensa sobre o assunto. Confira!

Saiba o que a ciência pensa sobre a telecinese, experiência paranormal que na década de 1970 comandou diversos espetáculos na televisão brasileira

None
A telecinese se constitui na habilidade de mover e manipular objetos apenas com a força da mente, sem utilizar qualquer músculo ou tocar os objetos. FOTO: Reprodução/iStock.com e Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 24/01/2017 às 15:29
Atualizado às 14:50

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Houve um tempo – mais precisamente nos anos 1970, com o israelense Uri Geller – que entortar talheres com a força do pensamento era uma super atração televisiva. Trata-se de um exemplo claro do fenômeno da telecinese. “Telecinese, psicocinesia, ou ainda PK, se refere à suposta habilidade de influência da mente sobre objetos ou sobre o meio ambiente, sem o uso dos músculos ou qualquer força física conhecida”, sintetiza a pesquisadora Vanessa Corredato. Ou seja, uma energia exteriorizada pelo corpo que seria capaz de provocar um efeito mecânico.

Além das colheres e chaves entortadas com o poder da mente, entram nessa categoria a habilidade de mover objetos distantes, e ainda ligar/desligar máquinas e aparelhos eletrônicos sem sequer encostar neles.

garfo, entortado, talher, fundo preto

A telecinese se constitui na habilidade de mover e manipular objetos apenas com a força da mente, sem utilizar qualquer músculo ou tocar os objetos. FOTO: Reprodução/iStock.com e Getty Images

O que a ciência pensa sobre a telecinese?

Assim como no caso da telepatia, são muitas as pesquisas envolvendo a telecinese no campo da Psicologia Anomalística. “Apesar de haver muitas alegações de fenômenos deste e de outros tipos, até o momento não encontramos entre os casos divulgados na mídia nenhum que fosse comprovado, sem sombra de dúvidas, como verdadeiro”, comenta a especialista.

LEIA TAMBÉM

Texto: Da redação Consultoria: Vanessa Corredato, mestre em psicologia e membro do Laboratório de Psicologia Anomalística e Processos Psicossociais (Inter Psi) da Universidade de São Paulo (USP)