Entenda a morte da onça Juma, exibida durante o revezamento da Tocha Olímpica

Entenda o que aconteceu durante a passagem da Tocha Olímpica e saiba mais sobre a polêmica da onça, mais um animal selvagem morto em locais públicos

None
Foto: Matheus Castro/Reprodução G1

por Redação Alto Astral
Publicado em 21/06/2016 às 12:02
Atualizado às 14:30

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Mais um problema manchou a reputação dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Uma onça que “participou” do revezamento da Tocha Olímpica foi abatida após participar do evento. Entenda a história:

As Olimpíadas do Rio de Janeiro serão em pouco mais de um mês. Na última segunda-feira (20), estávamos a 46 dias dos Jogos.

Tocha Olímpica

Foto: Rio 2016/Fernando Soutello

Em um longo trajeto que já durava 49 dias e que já teve momentos fascinantes, a Tocha chegou à Amazônia.

Revezamento da Tocha Olímpica

Foto: Rio 2016/André Mourão

Em Manaus, um dos locais que o fogo olímpico passou foi o Centro de Instrução de Guerra na Selva.

Revezamento da Tocha Olímpica

Foto: Rio 2016/André Mourão

Lá, duas onças mascotes do Exército foram exibidas, Juma e Simba.

Onça Juma é morta após revezamento da tocha

Foto: Matheus Castro/Reprodução G1

Os problemas aconteceram depois que as pessoas e a tocha saíram do local.

Onça é morta após revezamento da Tocha na Amazônia

Foto: Valdo Leão/Secom/Reprodução Amazônia Real

Segundo o Comando Militar da Amazônia, uma onça escapou do Zoológico da instituição. Não foi confirmado se era a Onça Juma. O animal foi atingido por um tranquilizante, mas acabou abatida com tiro de pistola quando se deslocou na direção de um militar. Leia a nota:

NOTA À IMPRENSA

1. O Comando Militar da Amazônia (CMA) informa  que, no dia 20 de junho de 2016, no final da manhã, uma onça veio a escapar no interior do Zoológico do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS) , que no momento do ocorrido se encontrava fechado, vazio e em segurança.

2. Uma equipe de militares composta de veterinários especializados no trato com o animal foi ao seu encontro para resgatá-la. O procedimento de captura foi realizado com disparo de tranquilizantes. O animal, mesmo atingido, deslocou-se na direção de um militar que estava no local. Como procedimento de segurança, visando a proteger a integridade física do militar e da equipe de tratadores, foi realizado um tiro de pistola no animal, que veio a falecer.

3. O Comando do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS) já determinou abertura de processo administrativo para apurar os fatos.

Atenciosamente,
SEÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO COMANDO MILITAR DA AMAZÔNIA”

A onça era mascote do batalhão e foi resgatada pelos militares ferida, após ter sua mãe morta. Segundo o site Amazônia Real, o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas só havia autorizado a participação da onça Simba no evento.

Onça - Tocha Olímpica

Foto: Jair Araújo/D24

Em entrevista ao site da BBC Brasil, o biólogo João Paulo Castro criticou o uso da onça no evento da tocha olímpica.

“Muitas vezes a onça já vive numa situação precária e estressante no cativeiro, o que é agravado num cenário de agitação”

O uso da onça para uma exibição pública aberta como o Revezamento da Tocha também gerou revolta na internet, já que o animal não deveria ter sido exposto a uma situação de estresse desse tipo.

O caso da onça reacende a questão do contato e do cuidado do ser humano com animais selvagens. Em maio, um gorila foi morto após uma criança cair dentro da jaula de um zoológico em Ohio, Estados Unidos.

Gorila Harambe

Foto: Cincinnati Zoo/Reuters

Confira aqui 7 coisas para pensar antes de ir a um zoológico, circo ou shows com animais.