NOTÍCIAS

Jornalistas lançam campanha contra o assédio e revelam violências que já sofreram

Campanha #JornalistasContraOAssédio dominou as redes com o objetivo de denunciar violências

None
Reprodução/Youtube

por Redação Alto Astral
Publicado em 21/06/2016 às 15:14
Atualizado às 15:31

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Na última semana, uma jornalista do portal iG foi demitida depois de denunciar um assédio que sofreu do cantor Biel. A ofensa, que foi revelada por meio de áudios, insinuava abuso sexual e fez com que o cantor fosse cortado de diversos programas e da trilha sonora da nova novela da Globo.

Biel

Reprodução/Youtube

A demissão, no entanto, provocou uma enorme revolta nas redes sociais. Depois do ocorrido, mais de 4 mil jornalistas se juntaram no Facebook e lançaram a campanha #JornalistasContraOAssédio, cujo objetivo era mostrar que casos de violência são muito mais comuns nesse meio do que se pensa.

Sandra Annenberg revela ter sofrido assédio

Até Sandra Annenberg, apresentadora do Jornal Hoje, fez uma revelação sobre o que já sofreu durante a carreira. Em entrevista para a revista Contigo, ela contou que foi depois de um assédio sexual que ela passou a reforçar seu posicionamento pela luta dos direitos das mulheres. “Eu fui discriminada, sofri preconceito, sofri assédio sexual, como todas as mulheres, mas eu fui reagindo”, afirmou.

Ela também contou que acredita que a sociedade está caminhando para conquistar direitos iguais para as mulheres. “É um passo de formiguinha conseguir este espaço”, revelou. “Sou de um tempo em que só homem abria o jornal e a mulher vinha na sequência. Eu perguntava ‘por que todo dia ele abre?'”, completou ela.

Sandra Annemberg

Divulgação

A campanha

A jornalista Janaina Garcia foi uma das mobilizadoras que sugeriu a campanha.

“Declarações de assédio são amenizadas pelos próprios jornalistas. Nós queremos desnaturalizar esse tipo de comportamento. Coletamos várias frases que são comuns às jornalistas do País inteiro. São frases que ouvimos ao longo da vida profissional com conteúdo machista e que agora vimos ser aberta uma janela importante para falar disso tudo. É um comportamento que não pode ser encarado como normal, nem dentro das redações, nem fora, nem nas assessorias. É nossa função trazer à tona essas informações para que isso mude”, afirmou para o HuffPost Brasil.

Confira o manifesto do grupo Jornalistas Contra o Assédio:

Relembre o caso

No dia 3 de junho a jornalista do portal iG estava em uma coletiva de imprensa do MC Biel para a divulgação de seu novo CD. Ao fazer algumas perguntas para o cantor, a jornalista foi assediada por ele. Em frente a todos, Biel disse que ela era “gostosinha” e disse que “a quebraria no meio.” Leia aqui o relato completo.