Empatia: o sentimento dos estádios na homenagem para a Chapecoense

No dia e horário em que Chapecoense entraria em campo para disputar o título Sul-americano, Brasil e Colômbia prestaram homenagens às vítimas. Saiba tudo!

None
Fotos: Divulgação

por Redação Alto Astral
Publicado em 01/12/2016 às 10:38
Atualizado às 14:33

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Não existe outra definição para o momento em que vive o Brasil com a tragédia da queda do avião da Chapecoense além de empatia, que nada mais é do que a capacidade de se colocar no lugar do outro, de tentar compreender e sentir o que a outra pessoa sentiria. E, neste caso, são 71 famílias em dor profunda, fato que nos faz refletir sobre como a vida é um sopro.

Homenagens em todo o mundo movimentam quem se comoveu com o acidente e unem clubes, jogadores e equipes em uma única camisa verde e branco. Para ontem (30.11), estava marcada a partida que daria início à final da Copa Sul-Americana. Os times Chapecoense, do Brasil, e Atlético Nacional de Medellín, da Colômbia, se enfrentariam para garantir o título.

O cenário foi outro e durante um minuto de silêncio, o barulho de cada coração parecia ser ensurdecedor em meio às memórias e o sentimento de saudade. Veja como foi nos vídeos e fotos a seguir!

homenagens-chapecoense

Fotos: Divulgação

Ato Ecumênico na Arena Condá, a casa da Chapecoense

O estádio da cidade de Chapecó recebeu milhares de pessoas para prestar homenagem na hora prevista da partida na Colômbia.

torcedos-arena-conda-chapecoense

Foto: Divulgação

Uma salva de palmas iniciou o ato ecumênico e a emoção tomava conta do local. O time tem como mascote um índio e, pouco tempo depois, o garotinho Carlos Miguel comoveu o mundo ao entrar em campo com um cocar marcando a esperança do recomeço da Chapecoense.

O telejornal Brasil Urgente compartilhou imagens do mascote que, muito triste, pedia ao pai: “me leva pra casa”. Assista!

Para todos serem lembrados como grandes campeões

No telão, foi visto o rosto de cada uma das vítimas brasileiras. Os aplausos foram ininterruptos durantes quase cinco minutos. Vale a pena prestar atenção na reação quando a imagem do goleiro Danilo aparece e relembrar que ele chegou a ser socorrido com vida mas, infelizmente, não resistiu no hospital.

Em seguida, o grito mais esperado, que vinha sendo treinado em cada vitória conquistada pelo time que teve uma ascensão impressionante na trajetória e campeonato: “É Campeão! É Campeão! É Campeão!”

A nova geração da Chapecoense

As crianças da categoria de base do time estiveram presentes no ato.

Um vídeo publicado por SporTV (@sportv) em

O exemplo de solidariedade e amor que Medellín deu ao Brasil e ao mundo

A fanpage Esporte Interativo compartilhou momentos gravados por quem estava no estádio Atanasio Girardot, na Colômbia, e tudo é impressionante. As pessoas estavam lá em solidariedade a todas as vítimas. Há maior expressão de amor para este momento?

Aqui, outro vídeo em que é possível ver todo o estádio.

Uma coroa de flor para cada vítima

O gesto de carinho chamou a atenção. Militares entraram no campo com coroas de flores que levavam, uma a uma, os nomes das vítimas da tragédia.

medellin-flores-chapecoense

Foto: Divulgação

“Vamos, vamos Chape!”

O Diário Catarinense compartilhou pelo Twitter o grito que ecoava dessa torcida.

A empatia no som da marcha fúnebre da banda militar

O Globo Esporte compartilhou vídeos e comentários desse momento emocionante. É possível se sentir no local!

 Os brasileiros reconheceram o carinho da Colômbia

1. 

2. 


3. 

4.


5.

6.

visao-geral-medellin-chapecoense

Foto: Divulgação

O portal Alto Astral tem como intuito, nesta matéria, além de informar, enaltecer os valores de solidariedade, amor e empatia com todos aqueles que de alguma forma estão sentindo a perda das 71 vítimas da tragédia. Acompanhar um caso como esse não é fácil, mas, para nós, sempre é possível extrair bons valores.

Ver os dois países, além de tantas outras manifestações pelo mundo, voltando o coração e os sentimentos para as homenagens é ter a certeza de que é possível olhar para o outro com mais compreensão e compaixão. O futebol brasileiro sofre um marco triste na história, mas com esperança de gerações que virão com muito talento e conquistarão grandes títulos sempre lembrando os sonhos dos jogadores, equipes e imprensa que acompanhavam Chapecoense: um time de ascensão rápida, merecida e cheia de garra. #ForçaChape #SomosTodosChape

LEIA TAMBÉM

Design: Isadora de Andrade/Colaboradora

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.