Esposa de Pyong, Sammy Lee, fala sobre depressão pós-parto; Conheça os sintomas!

Após o nascimento do filho de Pyong, participante do BBB20, sua esposa Sammy fala sobre depressão pós-parto e a relação com o marido

None
Foto: Reprodução/Instagram

por Giulianna Lombardi
Publicado em 05/03/2020 às 15:23
Atualizado às 17:01

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Após o nascimento do primeiro filho de Pyong e Sammy Lee no dia 16 de fevereiro, a influenciadora resolveu desabafar nas redes sociais sobre o relacionamento com o hipnólogo e os detalhes sobre o parto de Jake.

O nascimento do primeiro filho de Pyong e Sammy

Sammy mostrou que o suposto caso de assédio envolvendo o marido durante a vigésima edição do Big Brother Brasil, chegou a abalar a relação. Quando questionada por um seguidor sobre ainda estarem juntos, ela respondeu: “Óbvio, sou casada“.

Além de esclarecer os rumores sobre qualquer rompimento com o marido, Sammy conversou com os fãs sobre os procedimentos do parto e as dificuldades que enfrentou depois. “Você tem a opção se quer que o médico corte antes ou se acontece naturalmente. Eu esperei acontecer. Mas foram só dois pontinhos que levei, já não sinto mais nada, está cicatrizado“, explicou sobre a episiotomia, que é um processo de incisão feito em mulheres no momento do parto para facilitar a saída do bebê.

View this post on Instagram

PRONTOS PRA CHAPAR DE LEITE NESSE CARNAVAL UHUUL

A post shared by Sammy (@sammyofc) on

Sobre depressão pós-parto, ela afirmou ter sentido alguns dos sintomas típicos. “Teve um momento que eu estava inclinando para essa parte ruim, mas pedi para o meu pai sempre fazer uma lista de coisas boas na minha vida. Porque muitas vezes esquecemos do que é bom na vida da gente“, escreveu.

Você sabe o que é depressão pós-parto?

Apesar de a gravidez ser um momento de alegria para a maioria das mulheres, pelo menos 11% delas podem sofrer de depressão pós-parto ou, até mesmo, durante a gestação. Até um ano após do parto, essa taxa é de até 13%. Esse risco é maior entre mulheres com histórico da doença. Os sintomas podem ser confundidos com outros problemas, já que elas passam a ter que se dedicar intensamente ao bebê.

Sintomas

A principal característica é o humor depressivo e a incapacidade de sentir prazer nas tarefas de rotina. Pode haver também alterações no sono, no apetite e na energia, além de irritação, diminuição da libido, lentidão, entre outros. “Esses sintomas podem ser persistentes e ter impacto negativo nas atividades da mulher, prejudicando sua qualidade de vida”, avalia a obstetra Roseli Nomura.

Tristeza x depressão

Para conseguir diferenciar a depressão nessa fase, é preciso se atentar para sinais de alerta, como a falta de capacidade de dormir quando o bebê está dormindo, perda de peso e de apetite e inexistência de prazer em se alimentar.

Causas

Não existem explicações claras sobre o que desencadeia a depressão. “Algumas teorias explicam que a prolongada exposição aos esteroides ovarianos durante a gestação poderia precipitar a depressão ou piorar uma depressão pré-existente”, explica.

Prevenção

A melhor forma é identificar as mulheres com risco para a doença e realizar diagnóstico precoce. Cabe ao médico investigar nas mulheres que já tiveram depressão se estão sentindo alterações de humor, apetite, prazer e o sentimento em relação aos seus bebês.

Tratamento

É feito com aconselhamento e suporte psicológico, com estratégias educativas feitas por profissionais treinados, que diminuem os sintomas depressivos.

Leia também: