Entenda o caso de Qandeel Baloch, a paquistanesa morta por ser webcelebridade

Entenda a triste história da webcelebridade Qandeel Baloch, que foi assassinada por seu irmão por "desafiar a honra da família" com mensagens feministas

None
Fonte: Facebook/ Reprodução

por Redação Alto Astral
Publicado em 20/07/2016 às 11:14
Atualizado às 14:38

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Com a globalização, diversas possibilidades de carreira surgiram. O número de blogueiros e youtubers – pessoas que fazem vídeos no YouTube – crescem cada dia mais.

A paquistanesa Qandeel Baloch, de 26 anos, chamou a atenção por ser a primeira mulher que se tornou uma webcelebridade no seu país.

Ela fazia postagens sobre empoderamento feminino, feminismo e contestação de costumes locais.

“Eu acredito que sou uma feminista dos dias de hoje. Eu acredito em igualdade. Eu não preciso escolher qual tipo de mulher eu deveria ser. Eu não acho que haja qualquer necessidade de nos rotularmos – apenas por causa da sociedade. Eu sou apenas uma mulher com pensamentos livres, com uma mentalidade livre e eu amo do jeito que sou. :)”

Infelizmente, Qandeel Baloch foi morta asfixiada por seu irmão Muhammad Waseem no último sábado (16), para, segundo o rapaz, defender a honra da família.

Entenda o caso

O irmão de Qandeel Baloch, que na verdade se chamava Fauzia Azeem, condenava as atitudes da garota.

Conservador, ele nunca compreendeu a importância das mensagens que sua irmã passava e, por isso, já havia ameaçado Qandeel diversas vezes, de acordo com fontes locais.

A webcelebridade era muito criticada em suas postagens por pessoas da sociedade paquistanesa e Muhammad Waseem considerava que as crenças da irmã, além de seu comportamento, eram uma vergonha para a honra da família.

Qandeel Baloch webcelebridade paquistanesa

Fonte: Facebook/ Reprodução

Muhammad Waseem drogou a irmã e depois a estrangulou.

O crime ganhou notoriedade internacional e chocou muitas pessoas, mas o acusado diz que não se sente mal por isso: “eu não tenho arrependimentos, em todo caso, o comportamento dela foi inaceitável“. A declaração foi feita durante conferência à imprensa local organizada pela polícia.

Ele ainda acrescentou detalhes do assassinato.

Waseem diz que estava no térreo com sua irmã, enquanto os pais dos dois dormiam no segundo andar, na casa da família na cidade de Multan.

O crime foi cometido por volta das 22h. Muhammad deu um comprimido para Qandeel Baloch dormir antes de matá-la.

As leis do Paquistão

De acordo com as leis que regem o país, caso os parentes perdoem o crime, o acusado pode não responder criminalmente por seus atos.

Entretanto, nesse caso, o governo paquistanês proibiu Muhammad Waseem de ser perdoado por sua família e irão julgá-lo pelo assassinato de Qandeel Baloch.

Essa decisão de anulação é bem rara na sociedade paquistanesa, de acordo com informações da emissora de tv “Aljazeera“.

Repercussão

Muitas pessoas se emocionaram com a história da webcelebridade Qandeel Baloch.

Homenagens foram feitas na internet. A mídia internacional também se posicionou sobre o assunto, dando enfoque para a triste realidade das mulheres paquistanesas.

O caso é absurdamente triste, mas enfatiza a importância do feminismo e da luta das mulheres para conquistar a igualdade e vencer o machismo, que mata tantas mulheres ao redor do mundo.

VEJA TAMBÉM:

Feminismo: uma trajetória de lutas pela igualdade entre os gêneros

Os absurdos das campanhas publicitárias contra o feminismo nos anos 20

O que é sexismo e como podemos identificá-lo?

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.