Dia da Terra acende alerta para as mudanças climáticas

Em 2022, o Dia da Terra lembra que a data limite para diminuir a emissão de poluentes está se aproximando; entenda

O Dia da Terra é celebrado mundialmente desde 2009
O Dia da Terra é celebrado mundialmente desde 2009 - Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 22/04/2022 às 09:00
Atualizado às 09:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Nesta sexta-feira (22), comemora-se o Dia da Terra ao redor do mundo. Adotado pela Organização das Nações Unidas (ONU) desde 2009, essa data já existe desde a década de 70 nos Estados Unidos, quando o então senador Gaylord Nelson, a implementou no país. Atualmente, esse é um momento utilizado para dar luz a temas que precisam ser explorados como a poluição e as mudanças climáticas que vem ocorrendo no planeta. 

Em 2022, essa data tem uma função diferente para boa parte do mundo: alertar sobre o não cumprimento do Acordo de Paris. Realizado em 2015, a conferência se comprometeu a deter o aumento da temperatura do planeta abaixo dos 2 °C. Além disso, há uma série de outros combinados como:

  • fazer com que as emissões parassem de aumentar antes de 2025;
  • queda da emissão de poluentes em 43% até 2030.

Vale lembrar que, 2025 é conhecido como o período limite de retorno no processo de mudanças climáticas. Ou seja, caso as emissões não parem de aumentar em três anos, todas as mudanças climáticas vão se tornar irreversíveis. Por isso, o alerta tão importante a ser repensado no Dia da Terra.

Fora isso, há outro dado alarmante sobre o assunto: conforme divulgação realizada através do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (ONU), a última década registrou o nível mais alto de gases de efeito estufa da história.

Poluição no Brasil:

O Brasil também faz parte dos países que participaram do Acordo de Paris, e de acordo com relatório, as principais fontes de poluição do país provém dos setores de energia, indústria, agricultura e do desmatamento, que somados totalizam cerca de 46% do total de emissões. Segundo a própria ONU, algumas das medidas que podem ser tomadas para controlar as mudanças climáticas seriam o reflorestamento e a redução do uso de combustíveis fósseis, privilegiando fontes limpas como a biomassa, a eólica e a solar.

Por fim, para que a situação do planeta melhore, é necessário que sejam adotadas políticas públicas voltadas para essa temática. E como este é um ano de eleições, vale dar uma olhada nas propostas de candidatos e quais as soluções para a poluição, mudanças climáticas e como resolver esses problemas. 

Fonte:Rádio Senado.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.