Brasil é o 5º país onde mais se matam mulheres no mundo, diz pesquisa

Segundo o ranking da OMS, o Brasil ocupa o quinto lugar de países onde mais se matam mulheres no mundo; entenda esses dados alarmantes

None
Foto: GettyImages

por Redação Alto Astral
Publicado em 03/03/2017 às 16:23
Atualizado às 14:34

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Durante o Carnaval do Rio de Janeiro, a Polícia Militar recebeu 2.154 chamadas para atender casos de violência contra a mulher, o que significa que uma mulher foi agredida a cada 3 minutos na capital fluminense durante todo o feriado, de acordo com a assessoria de imprensa da PMERJ.

No Brasil, foi sancionada em 2006 a Lei Maria da Penha, que busca aumentar o rigor nas punições para esses tipos de crime, que infelizmente, são muito comuns no país. De acordo com o ranking da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil ocupa o quinto lugar de países onde mais se matam mulheres no mundo. A cada ano, são cerca de cinco mil mulheres assassinadas, sendo que um terço desses crimes acontecem dentro de casa, em sua maioria cometidos por homens que não aceitaram a separação, de acordo com o Ipea. Mulheres negras também são vítimas prioritárias de todos os tipos de violência contra a mulher.

Os dados apresentados no Carnaval mostraram uma realidade que acontece todos os dias, na vida de muitas mulheres, independente da época do ano. Na última semana, a publicação de Elisabeth Henschel ganhou repercussão nacional depois de ela denunciar por meio de suas redes sociais que foi agredida após sofrer um assédio no Carnaval. “Desde o momento em que pisei fora de casa, os homens começaram seus ataques, desde olhares lascivos às gracinhas mais absurdas. Vários tentaram encostar em meu corpo sem meu consentimento”, escreveu.

Os dados da Fundação Perseu Abramo, em parceria com o SESC, mostram que essa realidade está longe de acabar. Foi apontado que uma em cada dez mulheres já foi espancada pelo menos uma vez na vida, ou seja, a cada dois minutos cinco mulheres são espancadas no Brasil.

Lei Maria da Penha combate violência contra a mulher

Foto: Divulgação

Como denunciar?

A Lei Maria da Penha é uma das mais importantes para assegurar os direitos das mulheres e expor para a Justiça as violências sofridas. Essa lei possibilita que os agressores sejam presos em flagrante ou tenham sua prisão preventiva decretada quando ameaçarem a integridade física da mulher. Prevê, ainda, medidas de proteção para aquela que corre risco de vida, como o afastamento do agressor do domicílio e a proibição de sua aproximação física da agredida e dos filhos.

O Ligue 180 tem por objetivo receber denúncias de violência, reclamações sobre os serviços da rede de atendimento à mulher e orientar as mulheres sobre seus direitos e sobre a legislação vigente, encaminhando-as para outros serviços quando necessário. A Central funciona 24 horas, todos os dias da semana, inclusive finais de semana e feriados, e pode ser acionada de qualquer lugar do Brasil.

mulher com expressão séria coloca a mão em sua frente pedindo "pare", carnaval do Rio

Foto: GettyImages

Como agir se eu sofrer uma violência?

Como primeiro passo, você pode ir até a Delegacia da Mulher mais próxima e relatar o ocorrido. Você será orientada sobre os próximos passos. Em caso de estupro, não jogue as roupas fora: leve-as à Delegacia da Mulher quando for denunciar. Se for o caso, você será encaminhada para atendimento hospitalar. Quando o autor da agressão for desconhecido, procure guardar a aparência física, das roupas ou de outros detalhes que ajudem a identificá-lo. Se puder, no momento da denúncia, leve seus documentos pessoais e endereço completo. Se possível, o nome e endereço do autor do delito.

Texto: Thamires Motta/Daniela Andrioli

LEIA TAMBÉM 

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.