São Nicolau: conheça o santo que inspirou a lenda do Papai Noel

São Nicolau Taumaturgo foi o santo que inspirou a lenda do Papai Noel, pois ele costumava presentear as pessoas necessitadas. Seu dia é comemorado em 6/12.

None
Imagem: www.hljunior.com.br

por Redação Alto Astral
Publicado em 14/12/2016 às 08:07
Atualizado às 12:46

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Comemorado no dia 6 de dezembro, São Nicolau Taumaturgo nasceu na Turquia, em 280 d.C., e perdeu os seus pais quando era muito jovem. O santo herdou uma grande fortuna, podendo ajudar e praticar a caridade para muitas pessoas necessitadas. Costumava viajar e deixar saquinhos com moedas nas chaminés das casas das pessoas mais humildes.

A figura deste santo começou a ser representada na Alemanha pelo Papai Noel, o bom velhinho que muitas crianças acreditam trazer presentes no Natal.

São Nicolau presenteando criança

Imagem: www.hljunior.com.br

São Nicolau tornou-se bispo de Mira, antiga cidade da costa meridional da atual Turquia. Alguns relatos contam que, num certo dia, uma mulher, carregando uma criança, atirou-se em seus pés pedindo que o santo salvasse o seu filho que tinha acabado de morrer queimado. São Nicolau fez o Sinal da Cruz sobre o menino e este ressuscitou na frente de vários fiéis que estavam na cerimônia.

O santo morreu no século IV e seu culto difundiu-se por todo o Oriente e logo após por toda a Igreja.

Orações poderosas a São Nicolau

“Senhor, pelos méritos de São Nicolau, concedei-me a graça da bondade e zelo para com os mais aflitos, necessitados e, em especial, para com as crianças. Que eu saiba aprofundar em mim os dons que me destes, colocando-os em prática. Livrai-me da omissão e da preguiça. Amém.”

“Oh! glorioso Taumaturgo e Protetor das almas do purgatório, São Nicolau de Tolentino! Com todo o afeto de minha alma, te rogo que interponhas tua poderosa intercessão em favor dessas almas benditas, conseguindo da divina clemência a remissão de todos os seus delitos e suas penas, para que saindo daquele tenebroso cárcere de dores, possam a ter no céu a visão beatífica de Deus. E a mim, teu devoto servo, alcançai-me, oh! grande santo, a mais viva compaixão e a mais ardente caridade até aquelas almas queridas. Amém.”

LEIA TAMBÉM

Edição: Thomás Garcia/Colaborador | Design: Aline Barudi