MUNDO MÍSTICO

Budismo: prece para libertar-se de apegos emocionais

O Budismo possui rituais que visam a evolução espiritual e alívio de dores da alma. Confira a prece budista que vai te libertar de apegos emocionais.

None
Foto: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 08/02/2017 às 10:30
Atualizado às 11:43

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Para algumas pessoas, o Budismo é definido como uma religião com práticas e rituais que auxiliam a evolução da espiritualidade humana. Para outros, é uma filosofia de vida com métodos capazes de “despertar” o lado espiritual de cada um. O fato é que o Budismo, que nasceu aproximadamente seis séculos antes de Jesus Cristo, sobreviveu às mudanças ao longo da história e hoje em dia conquista um interesse cada vez maior das pessoas.

O Budismo e toda sua trajetória iluminada também buscam trazer ao mundo alguns ensinamentos práticos que visam aliviar as dores da alma e do coração por meio de algumas parábolas, frases inspiradores e preces. Confira a seguir uma prece Budista para se libertar de apegos emocionais e seguir um caminho mais leve e feliz.

estátua buda budismo

Foto: Shutterstock

Prece para se libertar de apegos emocionais

“Ó grande e compassivo Buda! Tens ouvido uma voz humilde, rezando a ti com sinceridade? Ó, Buda! Eu tenho afundado em uma lama de apegos emocionais; se eu não me levantar, afogo-me aqui, agora mesmo! Tenho me agarrado em uma teia de aranha de apegos emocionais; se eu não escapar, sufoco aqui, agora mesmo! Ó grande e compassivo, Buda! Rezo para que me concedas a força necessária para escapar da prisão dos apegos emocionais; rezo para que me concedas a coragem que me permitirá marchar em direção a um novo futuro. Tantos amigos e parentes me aconselham: o amor romântico é como a arrebentação das ondas no oceano; pessoas que se arriscam, ao brincar nas ondas, acabarão sendo devoradas pela aparentemente bela arrebentação das águas do oceano. Entretanto, eu que ainda ajo sem princípios, me agarro a ilusões; eu sei que ‘o oceano do amor tem ondas de 100 pés’, e, ainda assim, eu desconsidero os perigos; sei que ‘o oceano do sofrimento tem uma centena de ondas de arrebentação’, e, ainda assim, não sei como voltar atrás. Muitos sábios e pessoas virtuosas me dizem: ‘O amor romântico é como comer mel na lâmina de uma faca; mais cedo ou mais tarde, você será cortado pelo corte afiado’. Entretanto, eu, que tenho apegos emocionais profundos, não consigo me controlar; quanto tempo perco! Quantas oportunidades deixo passar! Ó grande e compassivo, Buda! Por meio de tua habilidade e tranquilidade, por favor, deixa-me obter a realização da natureza intrínseca do amor; por meio de tua compaixão e sinceridade, por favor, deixa-me criar a Terra Pura neste mundo humano. Devo purificar e expandir o amor romântico e transformá-lo em amor pela sociedade e pela nação; devo elevar o amor a um nível mais alto e transcendê-lo, para que, então, ele se transforme em um serviço sem interesses nem expectativas. Ó grande e compassivo, Buda! Por causa do apego emocional, tantas pessoas se prejudicaram e tantas outras causaram tragédias. Ó Buda, rezo por vossa proteção: que possamos elevar o amor a um nível mais alto pela razão; que possamos purificar o amor pela compaixão; que possamos governar o amor pela moralidade; que possamos guiar o amor pela ética. Ó grande e compassivo Buda! De agora em diante, vou renunciar às horríveis algemas do apego emocional, e trazer à cena o amor benevolente e genuíno; de agora em diante, vou me distanciar do sofrimento, causado por alternar amor e ódio, e criar uma vida de compaixão e sabedoria. Rezo para que, de agora em diante: o afeto e o amor ao darma transbordem e tranquilize a vida de todas as pessoas; o afeto e o amor ao darma preencham todo o universo e motive a carreira de todas as pessoas. Ó grande e compassivo, Buda! Por favor, aceita minha prece mais sincera! Ó grande e compassivo, Buda! Por favor, aceita minha prece mais sincera!”

LEIA TAMBÉM

Edição: Thomás Garcia/Colaborador | Design: Deicimar Machado