Como é o Paraíso para a cultura indígena tupi-guarani?

Normalmente, o Céu é visto como a morada de Deus e para onde vão as boas pessoas. No entanto, você sabe como a cultura tupi-guarani interpreta isso?

None
FOTO: Shutterstock Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 23/09/2016 às 12:50
Atualizado às 18:32

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Para religiões cristãs, o paraíso é, geralmente, visto como a morada do Criador e para onde vão as pessoas que conseguiram o perdão dos seus pecados ou viveram conforme a palavra sagrada. Contudo, a cultura indígena tupi-guarani não possui essa crença.

energia tupi-guarani

FOTO: Shutterstock Images

Frederico Cesarino, mestre em sociologia e professor da Universidade Luterana do Brasil, explica que, diferentemente das culturas que acreditam em paraíso, os índios das nações falantes das línguas tupi-guaranis não têm essa visão. “Para eles, não há noção de paraíso, nem céu, mas sim uma ‘terra sem males’ ou Ybymarã-e’yma, local para onde todos irão e que perseguem como uma espécie de paraíso”, explica.

Esses povos acreditam que tudo é energia, chamada Nhanderuvuçú, e, portanto, pode ser transformada e reciclada. Frederico conta que, para a cultura indígena, após a morte, a parte material e espiritual se convertem, cabendo ao criador decidir em que será transformada.

LEIA TAMBÉM

Consultoria: Frederico Cesarino, mestre em sociologia e professor da Universidade Luterana do Brasil, de Manaus (AM).

Texto: Redação Edição: Érica Aguiar Arte: Mary Ellen Machado