Papa Francisco relembra a história de Nossa Senhora de Chiquinquirá. Confira!

O Papa Francisco dedica sua reflexão à Nossa Senhora de Chiquinquirá e São Pedro Claver, duas figuras importantes para a Colômbia. Saiba mais sobre eles!

None
Foto: L'Osservatore Romano

por Redação Alto Astral
Publicado em 25/09/2017 às 09:00
Atualizado às 11:59

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Em um Angelus especial, feito na cidade de Cartagena das Índias, na Colômbia, o Papa Francisco relembrou uma história da região, quando a Nossa Senhora de Chiquinquirá foi descoberta. Além disso, o santo padre meditou sobre São Pedro Claver, sacerdote e padroeiro do país de origem espanhola. Confira a mensagem completa!

O pontífice começou recordando o longo tempo em que o quadro da Virgem ficou abandonado e jogado como se fosse lixo entre peças descartadas, chegando ao ponto de perder a cor. Até que um dia, uma moça simples chamada Maria Ramos a encontrou. “A primeira devota da Nossa Senhora de Chiquinquirá viu naquela tela algo de diferente. Teve a coragem e a fé de colocar aquela imagem arruinada e corroída num lugar de destaque, devolvendo-lhe a sua dignidade perdida. Soube encontrar e honrar Maria, segurando o Filho nos seus braços, precisamente naquilo que, para os outros, era desprezível e inútil”, conta o Francisco.

Foi Maria, uma índia chamada Isabel e seu filho de quatro anos Miguel que testemunharam a transformação do quadro, que, antes sem vida, agora estava brilhando de cores. “É aos pobres, aos humildes, aos que contemplam a presença de Deus, que se revela com maior nitidez o mistério do amor de Deus. Eles, pobres e simples, foram os primeiros a ver a Virgem de Chinquinquirá e se tornaram seus missionários, arautos da beleza e santidade da Virgem”, reflete o pontífice.

Na imagem, o papa francisco está sentado na cadeira contemplando o caixão com algum santo. Nossa Senhora de Chiquinquira

(Foto: Reprodução/Copyright L’Osservatore Romano)

Na mesma ocasião, o papa reza ao São Pedro Claver, padroeiro da região. O padre recebia os negros que chegavam na América. Mesmo com a diferença de idiomas, o sacerdote sabia a linguagem da caridade e da misericórdia. Mesmo assim, ele foi injustamente condenado e preso, onde passou os últimos anos de vida. “Ainda hoje, na Colômbia e no mundo, milhões de pessoas são vendidas como escravos, ou então mendigam um pouco de humanidade, uma migalha de ternura, fazem-se ao mar ou metem-se a caminho porque perderam tudo, a começar pela sua dignidade e os seus direitos”, conta o santo padre.

“Nossa Senhora de Chiquinquirá e Pedro Claver convidam-nos a trabalhar pela dignidade de todos os nossos irmãos, especialmente os pobres e descartados da sociedade, aqueles que estão abandonados, os emigrantes, as vítimas da violência e do tráfico humano. Todos eles têm a sua dignidade, e são imagem viva de Deus. Todos fomos criados à imagem e semelhança de Deus, e a todos nos sustenta a Virgem nos seus braços como filhos amados”, conclui o Papa Francisco.

LEIA TAMBÉM

Texto: Camila Ramos

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.