Espiritismo: é verdade que quando dormimos nosso espírito sai do corpo?

Quando dormimos, nosso espírito pode ou não sair de nosso corpo? Afinal, para onde vamos quando dormimos? Entenda esse fato na visão do Espiritismo!

None
Foto: iStock

por Redação Alto Astral
Publicado em 21/03/2017 às 12:24
Atualizado às 11:48

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quando estamos dormindo, não temos a consciência do que acontece com nossa alma. Nosso espírito pode realmente sair do corpo e vagar pela mundo espiritual? E os sonhos, o que são eles? Confira agora o que o Espiritismo diz sobre isso!

Espírito saindo do corpo em forma de ilustração e montagem

Foto: iStock

Então realmente o espírito sai do corpo?

Sabemos que durante o sono, o espírito ao se afastar do corpo, permanece ainda ligado a ele por um cordão de prata, de forma que é capaz de passar para os registros das memórias consciente e inconsciente as informações que capta no plano espiritual. Muitas vezes essas informações se juntam a todas as recordações guardadas e, devido à ebulição de fatos e lembranças, cria-se então a sensação do sonho.

O escritor Altivo Panphiro descreve o sonho como lembranças de uma projeção inconsciente feita durante o sono. Isto é, segundo o pesquisador, o sonho é a lembrança de fatos ocorridos durante o dia, lembranças de fatos ocorridos durante uma projeção astral, e, também informações captadas mediunicamente do plano espiritual.

Quando a pessoa é assessorada por um espírito, que pode ser um amigo, um protetor, um mentor, ele passa a senti-lo no estado de sonho e depois seguir com ele para mais longe, dando início a um processo de desdobramento. Se não for o caso de desdobrar-se a pessoa continua em estado de sonho, permanecendo junto ao corpo físico. Viagem astral e desdobramento podem ser considerados como sinônimos.

E o que significa esse desdobramento?

A Doutrina Espírita classifica como desdobramento, o ato do espírito se desprender do corpo físico gozando ou não, de sua lucidez, e, adentrar o mundo espiritual. No desdobramento, o corpo espiritual se liberta inteiramente do corpo físico e vive a vida de espírito livre. A ligação entre corpo físico e o corpo espiritual desdobrado é feita pelo chamado cordão de prata. Porém, nem todas as pessoas que desdobram, guardam memórias conscientes do que aconteceu em suas caminhadas astrais.

Neste caso, este fenômeno é então chamado de desdobramento inconsciente. Porém, segundo André Luiz, pela psicografia de Chico Xavier, estes registros inconscientes podem aflorar ao consciente influindo em comportamentos e decisões quando a pessoa que desdobrou estiver acordado. O desdobramento pode acontecer de maneira consciente em que a pessoa em desdobramento descreve, durante ou após este acontecimento, os sítios em que se coloca, podendo ser algum lugar do mundo físico ou também do mundo espiritual.

Projetar o pensamento em algum lugar ou em alguém é condição necessária e suficiente para ir mentalmente ao encontro da pessoa ou ao local mentalizado. Durante o sono, muitas vezes vamos em desdobramento a locais posicionados automaticamente por nossos pensamentos e atos acontecidos no dia anterior, embora na maioria das vezes não guardamos recordação consciente e em outras, misturamos as paisagens astrais com imagens fantasiosas fragmentadas de sonhos.

LEIA TAMBÉM

Edição: Rafael Barbosa/Colaborador | Design: Gabriel Andrade/Colaborador

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.