Nem gorda, nem magra? Você é midsize!

O novo tamanho acolhe mulheres com manequins entre 42 e 48 e estimula pertencimento, amor-próprio e autoaceitação

O corpo midsize vai além do manequim
O corpo midsize vai além do manequim - Shutterstock

por Thaís Lopes Aidar
Publicado em 23/08/2021 às 22:00
Atualizado às 22:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Falar de corpos é um debate difícil, mas cada vez mais necessário. Ainda que os tamanhos sempre tenham sido motivo de discussão e restrição na moda, cada vez mais vemos pessoas reais, que se parecem conosco nas redes socais, em campanhas e desfiles — e que bom!

É claro que há MUITO o que avançar nesse sentido, principalmente quando falamos sobre o preconceito, a gordofobia e discriminação sofrida por pessoas gordas. Porém, mesmo que muito lentamente, com a chegada, criação e democratização do "plus size" (tamanhos destinados às pessoas gordas), tendências e roupas de praia, por exemplo, vêm incluindo esse público que antes era completamente deixado de fora.

No entanto, restringir pessoas tão diferentes em apenas dois grupos possíveis — gordas ou magras — parece não fazer muito sentido. Esse foi o questionamento da comediante Amy Schumer, que disse não encontrar seu lugar na hora de comprar roupas: as "padrões" não cabem e as plus size são grandes. 

Assim, esse "nem lá, nem cá" originou o termo Midsize! O "meio-termo" ou "médio" representa pessoas que não se inserem em tamanhos convencionais e padrões dos corpos magros, mas também não vestem os números grandes dos corpos gordos.

Rótulo ou pertencimento?

Criar mais uma definição pode parecer outra maneira de rotular e agrupar pessoas. Por isso, é importante saber que você só deve se colocar em um grupo se isso fizer sentido. Porém, enxergando outro lado dessa história, o termo pode trazer pertencimento àqueles que antes não se viam representados em lugar nenhum. 

Portanto, o mais legal que cada um pode levar do movimento Midsize é a liberdade de atribuir ou não uma categoria ao seu corpo, mas saber que, se quiser, há pessoas iguais a você, te representando e passando pelo mesmo momento. 

Autoestima, amor-próprio e autoaceitação

Falar de corpos é sempre falar de relatividade. Enquanto algumas mulheres se sentiram representadas e acolhidas pelo termo e roupas plus size, outras não gostam se de enquadrar nessa categoria por questões como autoestima e, principalmente, padrão estético. 

Embora a pressão social seja sentida por todas as formas e tamanhos, obviamente ela é maior em quem pesa mais. Por isso, a relação com o corpo é um fator frequente em questões emocionais e psicológicas. Assim, falar sobre corpos reais é urgente! 

Nesse sentido, o Midsize vem sendo um movimento de autoaceitação, amor-próprio e autoestima para mulheres ao perceberem que esse "meio-termo" é muito comum e elas não estão sozinhas. A sensação de pertencimento preenche um espaço de dúvida e insegurança, dando lugar à normalização e acolhimento do corpo, independentemente de seu tamanho, marcas ou julgamentos alheios. 

Eu sou Midsize?

Depende! Não há uma regra clara quanto aos manequins, mas costuma partir do 42 e ir até o 48. Outras pessoas podem se considerar Midsize vestindo 40, por exemplo, ou se definir como plus size usando 46. Desse modo, o que vale ser considerado é seu biotipo, sensação de pertencimento e representatividade, curvas, e, sobretudo, bem-estar! 

Midsize nas redes

Se você gostou desse novo conceito e gostaria de saber mais, que tal conhecer alguns perfis que abordam a causa de maneira responsável e sensível? Quando falamos de autoestima, é essencial querer por perto referências que nos façam bem, sem gerar comparações e frustrações! 

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.