É importante ter metas na vida? Especialistas respondem

Definir um alvo e trabalhar para atingi-lo garante um melhor trabalho da mente, principalmente com relação à distribuição dos esforços diários.

Imagem de uma alvo de dardo com um dardo vermelho no centro do alvo
Estabelecer objetivos e focar em sua conquista pode te levar mais facilmente ao sucesso (Foto: Reprodução/Pixabay)

Se você começa o ano preparado para novas ambições e objetivos, estabelece metas para conquistá-las, saiba que, no mínimo, sua intenção o deixa no caminho certo. Pois definir um alvo e trabalhar para atingi-lo garante um melhor trabalho da mente, principalmente com relação à distribuição dos esforços diários.

Imagem de uma alvo de dardo com um dardo vermelho no centro do alvo

Estabelecer objetivos e focar em sua conquista pode te levar mais facilmente ao sucesso (Foto: Reprodução/Pixabay)

“As metas impulsionam as pessoas para frente, pois representa o que queremos de fato. Estamos sempre nos movendo em direção a algo, ou seja, estamos nos mobilizando de um estado presente, para um estado ou cenário desejado”, comenta o psicólogo Thiago Gomes de Lima.

Com metas x Sem metas

A partir do momento em que se tem uma meta clara e um prazo definido para alcançar esse objetivo, fica mais fácil direcionar esforços para sua conclusão. É o que afirma Marcus Oliveira Filho, autor do livro Dez Mandamentos para Economizar (e Ganhar) Tempo. “A falta de metas bem definidas pode tornar difícil o processo de enxergar quais ações e atividades diárias estão efetivamente levando o indivíduo para mais próximo da meta”, conta.

Preparar

Antes de definir seus objetivos, é preciso fazer uma seleção daquilo que é possível ser realizado. “Naturalmente, cada um sabe melhor acerca de suas capacidades e limitações, devendo ser cauteloso em traçar metas plausíveis para si. Elas devem ser possíveis de serem alcançadas e, ao mesmo tempo, oferecer certo desafio para a pessoa, pois a falta de desafios pode levar à desmotivação na busca pelo objetivo almejado”, observa Marcus.

Apontar

Muitas podem ser as metas estabelecidas. No entanto, é preciso delimitar a carga de esforços a ser distribuída para todas elas. Mesmo assim, ainda existem outras etapas que surgem no decorrer do percurso. “Temos dois tipos de metas: a de resultado, que seria o objetivo final para onde estamos nos movendo, e a de processo, que seria a jornada como chegaremos lá. Quando defi¬nimos um plano para atingir o propósito final, este processo envolve metas menores que irão compor a jornada”, expõe Thiago.

Foco!

Sim, foco. Pois é mais importante se manter centrado na busca por conquistar metas do que a própria ação. Afinal de contas, apenas com a mente focada no objetivo a ação terá seu devido resultado. “Pessoas que se dedicam a muitas atividades concomitantemente têm menor possibilidade de obterem sucesso em todas as iniciativas do que aquelas que conseguem focar e direcionar seu tempo e esforços em menos direções, ou seja, menos projetos de vida”, analisa Marcus. Ele também lembra que, caso o indivíduo sinta que está alcançando as metas de forma satisfatória e ainda possui tempo livre, pode tentar levar dois projetos simultaneamente.

Consultoria:

Thiago Gomes de Lima, psicólogo com especialização em neuropsicologia pelo departamento de neurologia da HCFMUSP. Professor da UFRJ, com formação em psicologia do esporte pelo CEPPE-SP, coach pela Sociedade Brasileira de Coaching, MBA em Gestão Estratégica de Pessoas (FGV).

Marcus Oliveira Filho, professor de engenharia civil e mecânica da Universidade Positivo (UP), de Curitiba (PR), e autor do livro Dez Mandamentos Para Economizar (e Ganhar) Tempo.