Conheça 3 livros sobre assassinatos documentados

O fascínio por assassinos em série é ao mesmo tempo perturbador e compreensível. O fato é que a curiosidade humana sobre os mot...

faca com sangue
FOTO: Shutterstock

O fascínio por assassinos em série é ao mesmo tempo perturbador e compreensível. O fato é que a curiosidade humana sobre os motivos que levam as pessoas a praticarem crimes monstruosos, serve como ponto de partida para milhares de livros já lançados.  Fictícios ou não, as histórias são de arrepiar qualquer um. Confira uma lista de assassinatos já documentados e descubra: o que leva esses homens e mulheres a se comportarem dessa forma?

3 livros de assassinatos já documentados

IMAGEM: Divulgação

1 – Zodíaco

Ano: 2007
Autor: Robert Graysmith
Classificação: não ficção
Editora: Novo Conceito
Relatos sobre o serial killer que aterroriza a cidade de San Francisco desde 1968. Nessa época, Robert Graysmith, cartunista de política do jornal San Francisco Chronicle, começou a receber as cartas criptografadas do assassino e publicá-las. Esta é a história real de uma caçada que se estende por mais de duas décadas e que ainda persiste. Nesse livro, pela primeira vez, você encontrará cada palavra escrita pelo Zodíaco.

2 – Serial Killers – Anatomia do Mal

Ano: 2013
Autor: Harold Schechter
Classificação: não ficção
Editora: DarkSide Books
Dossiê definitivo sobre o universo sombrio dos psicopatas mais perversos da história. O livro é referência fundamental a todos os que se interessam pelo universo da investigação e da criminologia. Marcado por curiosidades macabras, dados científicos e fatos pouco conhecidos sobre a trajetória e a mente dos principais criminosos em série dos Estados Unidos. Um livro que vai atrair a atenção dos fãs das séries CSI, Dexter, Criminal Minds e do canal Investigação Discovery.

3 – Caronte – As esganadas

Ano: 2011
Autor: Jô Soares
Classificação: ficção
Editora: Companhia das Letras
A história é ambientada no Rio de Janeiro, durante a Era Vargas, e retrata uma série de assassinatos cometidos contra mulheres gordas. Caronte, dono da funerária Estige, sempre foi maltratado por sua mãe. Após assassiná-la, passa a vida a vingar-se dela, descontando a sua ira nas mulheres gordas (parecidas com ela). O personagem criado por Jô Soares se sente excitado ao matar jovens gordas com receitas portuguesas herdadas da “genitora lusitana”. Geralmente, as vítimas morrem sufocadas de tanto comer.

LEIA MAIS