Será que lidamos bem com as opiniões divergentes no cotidiano?

Será que lidamos bem com as opiniões divergentes no cotidiano?

A falta de compreensão em relação às opiniões alheias é recorrente dentro das redes sociais, contudo, não se restringe às páginas da web.

pai e filho brigando, opiniões divergentes
FOTO: iStock/Getty Images

A falta de compreensão em relação à opinião alheia é recorrente dentro das redes sociais, contudo, não se restringe às páginas da web. A psicanalista e coach de desenvolvimento humano Andreia Rego lembra que, na vida pessoal, muitos indivíduos colaboram com a falta de ética, de solidariedade e de tolerância. “Já os que se limitam a agressões apenas no meio cibernético e que se comportam bem diante das pessoas, há um ponto interessante a lembrar: nem todas as pessoas têm coragem de assumir suas opiniões na frente dos outros. Isso requer uma estrutura interna mais sustentável, o autoconhecimento fundamental”, explica a psicanalista.

pai e filho brigando, opiniões divergentes

FOTO: iStock/Getty Images

Muitos de nós não estamos preparados para tratar outros indivíduos com respeito e expor o que pensamos e sentimos de forma construtiva, respeitando as opiniões. Andreia adiciona que, de certa forma, também não estamos preparados para receber respostas e críticas. Por isso, no espaço virtual, tendem a apagar conteúdos, omitir postagens e bloquear outros usuários. “Na vida real, no aqui e agora, dá trabalho crescer, dialogar, falar honestamente sobre ideias, ideais e emoções, sem a necessidade de ferir e magoar”, pontua.

LEIA TAMBÉM

Texto: Érica Aguiar Edição: Angelo Matilha Cherubini

Consultoria: Andreia Rego, psicanalista e coach de desenvolvimento humano