Jogos de tiro ajudam você a tomar decisões mais rápido

Jogos de tiros podem ser bastante positivos, uma vez que, segundo pesquisa, desenvolvem a capacidade de tomar decisões dos gamers

Os famosos jogos de tiro, conhecidos com action games, têm sido objeto de estudo para a ciência – dessa vez, com o propósito de analisar os benefícios que podem proporcionar aos jogadores. A professora da Universidade de Genebra (Suíça) e especialista em neurociência cognitiva Daphne Bavelier e C Shawn Green, professor assistente da Universidade de Wisconsin-Madison (EUA), analisaram as mudanças causadas por esse tipo de desafio no cérebro dos gamers.

mao segurando controle videogame jogos

FOTO: Shutterstock.com

Nesse tipo de jogo, o participante é um atirador que precisa derrotar os inimigos em terrenos simulados, nos quais a precisão e a criação de estratégias rápidas são alguns atributos necessários para vencer. Por conta disso, o estudo observou que os jogadores analisados eram capazes de tomar decisões 25% mais rápido do que outros sem prejuízo de precisão.

Os jogadores mais experientes apresentam um sistema de atenção visual mais acurado, podendo rastrear mais objetos simultâneos em uma tela”, analisa Tiago Eugênio, professor do curso de pós-graduação em neuroeducação da rede Capacitar. Ou seja, o cérebro dessas pessoas tem maior capacidade de prestar atenção em eventos simultâneos sem se confundir.

O especialista explica que os jogos “exigem” do cérebro respostas quase instantâneas aos eventos que surgem na tela, o que coloca o jogador em situações semelhantes a que alguns profissionais são submetidos diariamente. “Dessa forma, profissões que exigem precisão, tomada de decisão rápida e atenção a diversos eventos simultâneos podem obter vantagens por meio do treino com videogame como, por exemplo, o cirurgião”, sugere.

Os jogos estimulam o aprendizado

“Os videogames podem estimular certas aptidões, sendo uma excelente ferramenta para o aprendizado que envolve a repetição por um período de tempo, propiciando a ampliação da rede neuronal envolvida na atividade especifica”, salienta a psicóloga Ana Paula Magosso Cavaggioni.

Ações repetitivas fortalecem as conexões das células do cérebro relativas à memória e ao aprendizado, e o hipocampo é uma importante estrutura para a formação de memórias de longo prazo – fundamentais para os processos de aprendizagem.

LEIA TAMBÉM

Texto e entrevistas: Thiago Koguchi – Edição: Giovane Rocha/Colaborador

Consultorias: Ana Paula Magosso Cavaggioni, psicóloga; Tiago Eugênio, professor do curso de pós-graduação em neuroeducação da rede Capacitar