Afinal, o que é o inconsciente humano?

Mesmo com diversas teorias desenvolvidas sobre o tema ao longo dos anos, o inconsciente ainda guarda seus mistérios. Entenda o que é essa parte da mente

mulher-cabelo-rosa-olhos-fechados
FOTO: Shutterstock.com

Entende-se como inconsciente os conteúdos mentais e emocionais que não são acessados pela razão, ou seja, a consciência. Segundo a psicóloga Carolina Careta, “é tudo aquilo que recebemos através dos sentidos mas que não estamos conscientes agora. É o que eu sei, mas não estou pensando no momento, o que lembro, recordo e faço involuntariamente sem prestar atenção”.

mulher-cabelo-rosa-olhos-fechados-inconsciente

FOTO: Shutterstock.com

No cérebro, a tomada de decisão acontece antes mesmo que ela tome uma forma consciente, o que significa que uma parte muito pequena da atividade mental pode se dizer totalmente consciente. Essa parte da mente possui um grande combinado de representações e significados que possuem uma grande quantidade de energia, conhecida como energia pulsional. “Dessa forma, o inconsciente seria uma grande fonte de motivação para as nossas ações, nossa busca pelo prazer, a libido, nossos instintos e impulsos”, explica a psicóloga Daiana Rauber.

O inconsciente, além de motivar atos e mover nossas vontades, também pode ser censurado. “Isso pode ocorrer por diversos motivos ao longo do desenvolvimento de cada pessoa, por exemplo, por proibições, padrões de conduta, noções de certo e errado, moral e ética”, destaca Daiana.

Nesses casos, as representações deixam de se manifestar livremente e passam a aparecer “disfarçadas”, como em sintomas, sonhos ou atos falhos. Contudo, de uma forma ou outra, ele sempre estará presente em nossas ações, interferindo em grande parte dos momentos da vida.

O inconsciente no cérebro

Essa parte da mente não se refere somente a conteúdos memorizados, mas também aos processos que acontecem fora do nível consciente. Segundo a psiquiatra e neurocientista Célia Cortez, “esses processamentos envolvem redes neuronais localizadas profundamente no córtex cerebral e em estruturas subcorticais. Dessa forma, eles possuem uma grande autonomia em relação ao que ocorre na ‘mente consciente’, pois ocorre paralelamente e é distribuído por várias áreas que são mais primitivas”.

De acordo com a especialista, a maioria das estruturas subcorticais, em especial do sistema límbico (unidade responsável pelas emoções e comportamentos sociais), estão envolvidas em processos inconscientes. A maioria dessas estruturas estão envolvidas com o hipotálamo, o tálamo e a amígdala, que muitas vezes funcionam como intermediários em processos em que são acionados o córtex pré-central.

LEIA TAMBÉM

Texto: Jéssica Pirazza/Colaboradora – Edição: Giovane Rocha/Colaborador

Entrevistas: Natália Negretti e Ricardo Piccinato – Consultorias: Carolina Careta, psicóloga clínica; Célia Cortez psiquiatra e neurocientista; Daiana Rauber, psicóloga