Saiba porque é importante falar sobre dinheiro com os filhos

O ganhor e gastos com dinheiro também devem ser assuntos dentro de casa com os filhos

filhos-dinheiro
Foto: Shutterstock Images

Engana-se quem pensa que dinheiro é assunto somente de gente grande. Dentro de casa, o tema deve ser tratado com naturalidade entre todos.

Crianças nas finanças domésticas

Segundo a superintendente de educação corporativa Patrícia Campos, ao conversar sobre dinheiro em família, é preciso sempre ter clareza sobre o que são gastos essenciais e supérfluos. “Quando a criança aprende essa noção, fica mais fácil envolvê-la na tomada de decisão sobre cortes necessários para reenquadrar as finanças domésticas em um novo patamar de gastos”, compartilha. A profissional destaca que o tema precisa ser tratado com os pequenos, mas deve ser exercitado diariamente pelos pais, dando o exemplo.

filhos-dinheiro

Foto: Shutterstock Images

Quando tocar no assunto

De acordo com o professor da FGV Pedro Leão Bispo, não há um momento mais indicado para começar a introduzir o assunto às crianças, porém, é importante que elas já tenham contato com os números na escola. Contudo, é preciso respeitar a idade e não transferir a ela uma maior responsabilidade. “A partir dos dez anos, a criança já tem boa noção de gerenciamento de pequenas despesas. Pode-se começar com o dinheirodo lanche do colégio e, conforme se percebe a facilidade em gerenciar os gastos, gradativamente passar mais algumas responsabilidades financeiras”, afirma o contador Hélio Donin Jr.

Até as crises

Os momentos de crise e de reeducação financeira também devem ser compartilhados entre os indivíduos da família. De acordo com o contador, limitações nas despesas e eventuais adequações são absolutamente normais a todos e, por isso, devem ser partilhadas, inclusive entre as crianças. “Demonstrar para os filhos que a reeducação é algo positivo e trará tranquilidade para a família é uma alternativa interessante”, aponta. O especialista lembra que as crianças se adaptam com facilidade a novas situações, por isso, não é preciso ter receio na hora de compartilhar com elas que mudanças precisam ser feitas. Basta agir com tranquilidade.

 

LEIA MAIS

 

Consultoria: Hélio Donin Jr., contador e diretor da Donin Contabilidade; Patrícia Campos, superintendente de educação corporativa; Pedro Leão Bispo, professor dos MBAs da Fundação Getulio Vargas (FGV).

Texto: Natália Negretti