13 dicas para diminuir a ansiedade dos idosos durante o isolamento

Conheça algumas atividades e atitudes que podem melhorar o bem-estar e a rotina dos mais velhos

idosos na quarentena
Foto: Shutterstock

Com o isolamento domiciliar graças a pandemia do novo coronavírus, muito se fala sobre a necessidade de manter os idosos na quarentena, reclusos de exposições dispensáveis. Mas, fazer com que eles acatem algumas regras ou deixem de lado certo hábitos da rotina, pode ser uma tarefa difícil.

“O diálogo, definitivamente, é a melhor saída para lidar com aqueles que não gostam de ser contrariados”, explica Marcella dos Santos, enfermeira chefe do Grupo DG Sênior. Com o afastamento social, muitas das atividades rotineiras, como ir ao supermercado, à igreja, tomar Sol na praça, almoçar com a família toda, visitar parentes no final de semana ou, para os mais ativos, participar de atividades esportivas em grupo estão proibidas.

“Qualquer mudança no cotidiano do idoso já gera conflito. Com essa alteração radical, todos nós, independentemente da idade, estamos tendo que viver uma nova realidade”, comenta. Não é à toa que diversos problemas psicossomáticos podem começar a despontar ou se agravar nesse período, como a ansiedade.

Por si só, a idade avançada já traz fragilidades ao estado físico e mental. E, embora muitos consigam desempenhar atividades e são independentes, outros se sentem sujeitos a mal-estar e vulneráveis. Então, o que fazer para que esses idosos não se sintam tão sós?

Idosos na quarentena

Ilustração: Shutterstock

“Procurar manter os hábitos mais importantes no dia a dia de cada um deles. O conhecimento das preferências dos mais velhos, de maneira individual, ajuda a não descuidar até daqueles costumes diferentes, como querer pão de queijo no café da manhã todos os dias”, lembra Marcella.

No caso de um idoso obstinado, a situação acima é ainda pior porque, geralmente, costuma colocar muitas barreiras a tudo o que lhe é dito e oferecido, principalmente se qualquer uma dessas informações for na contramão de suas ideias ou estiver se sentido enclausurado, ansioso.

Para diminuir os sintomas e manter os idosos na quarentena saudáveis e em movimento, Marcella dá algumas dicas de como lidar com isso e evitar conflitos maiores.

13 maneiras de melhorar o bem-estar dos idosos na quarentena

Mostre que está do lado dele 

Deixe bem claro que as mudanças são positivas. Use matérias de jornais, exemplos de acontecimentos passados para que a pessoa possa visualizar e chegar às próprias conclusões.

Faça com que ele escolha

Dê duas opções válidas dentro daquilo que precisa ser feito. Por exemplo, para fazer com que ele se agasalhe, procure opções de blusas que ele goste e sirvam para o momento, mas deixe que a escolha de qual delas usar seja dele.

Ajuda na cozinha

Para aqueles que ainda têm independência para cozinhar ou ajudar na cozinha, essa pode ser uma atividade muito interessante. Fazer bolos e tortas com receitas antigas da época do idoso, resgatar as receitas de família e até fazer um caderno organizando essas preciosidades para passar adiante. “É importante sempre tomar cuidado com objetos cortantes e com o fogo para aqueles com a motricidade reduzida, mas a atividade não deixa de ser interessante para eles também”, alerta a enfermeira chefe.

Ilustração: Shutterstock

Escolha suas batalhas

Enumere os debates mais importantes e seja flexível no que não é. Neste momento de estresse para ambas as partes, não é saudável brigar por tudo. Garanta as questões básicas do dia a dia como segurança, alimentação, medicação e higiene, e o restante deixe o idoso mais à vontade.

Rituais religiosos

É essencial manter o máximo dos costumes religiosos a que estão acostumados. Existem canais de TV específicos e podemos oferecer para que acompanhem as missas, orações e cultos. Alguns líderes religiosos adotaram transmissões on-line.

Não bata de frente

Negocie e procure falar de forma firme e calma, para que não seja visto como uma afronta e sim uma ajuda. O tom de voz e a postura do cuidador neste momento são importantes.

Crie alternativas diferentes

Na alimentação, por exemplo, se o idoso não quer comer comida saudável pense em outras formas de fazer as refeições, como uma torta de legumes, um hambúrguer caseiro recheado, um bolo saudável da fruta preferida do idoso. Nessa hora a criatividade é muito importante e pode ser um bom momento para convidar a pessoa para ajudar na preparação.

Pratique jardinagem

Caso tenha jardim em casa, pode pedir para o idoso aguar as plantas. Se morar em apartamento, deixe alguns vasos para que eles consigam cuidar. Toda atividade que envolva cuidar das plantas, montar uma mini horta, pode ser muito benéfico.

Ilustração: Shutterstock

Pratique exercícios físicos

Manter a atividade física, por meio de alguns exercícios simples que podem ser feitos em casa ajuda a afastar os sintomas da ansiedade nos idosos na quarentena. Alongamentos e pequenos pesos caseiros, como sacos de feijão, por exemplo, ajudam a conservar a rotina.

Utilize a tecnologia a seu favor

“Promova encontros virtuais com outros familiares para diminuir o isolamento social. Também existem aplicativos para treinamento do cérebro direcionado para idosos. O importante é mantê-los em movimento”, exemplifica Marcella.

Propor jogos e desafios

Geralmente jogos como o dominó, cartas e tabuleiro fazem sucesso. Palavras cruzadas também são sempre bem aceitas. A dica é fazer desafios, placares para que seja estimulante jogar.

Estimule a criatividade

A pintura é uma atividade usada muitas vezes para ajudar a relaxar. Podem ser livros de pintura ou em telas, dependendo a cognição do idoso. Criar um álbum ou uma caixa de memórias, onde são colocados vários objetos ou fotos que tenham um significado especial para a pessoa e que possa ser acessado facilmente, também é uma ideia que pode estimular a busca por esses objetos.

Chame-o para dançar

Ouvir músicas que remetem às memórias pessoais. Pode convidá-los a dançar, caso seja possível. Essa prática é interessante tanto para uma atividade cognitiva quanto física. Conversar sobre a música, ver vídeos do artista preferido. Com a internet, é possível trazer memórias da época dos shows e do rádio.

Leia também: