8 hábitos para passar pela menopausa sem desconforto

A menopausa é uma etapa natural na vida da mulher e nem todas passam por ela tranquilamente. Confira alguns passos para atravessar essa fase com saúde e conforto

mulheres felizes na menopausa
Hábitos saudáveis podem tornar a menopausa uma fase mais tranquila Foto: Shutterstock

Temida por algumas e tranquila para outras, o fato é que a menopausa dificilmente passa despercebida pela vida da mulher. De acordo com a ginecologista e obstetra Denise Gomes, o primeiro passo é não se deixar dominar pela ansiedade. “É importante a mulher ‘conhecer’ a menopausa, entender o que ela significa, quais sintomas pode provocar. Isso faz com que parte da ansiedade seja eliminada”, explica.

A menopausa é um processo natural que se caracteriza pelo encerramento dos ciclos menstruais. Geralmente, se inicia na faixa etária dos 40 e 50 anos e pode gerar alguns efeitos no corpo devido às alterações dos hormônios, como o enfraquecimento dos ossos e sensações de calores intensos. Manter bons hábitos é a melhor maneira de passar por esse período de maneira saudável. Confira!

1. Exercite-se

Eis um hábito que contribui para muitos fatores, entre eles, a redução e manutenção da gordura corporal, muito importante nessa fase, já que o desequilíbrio hormonal pode colaborar para o ganho de peso. “Consequentemente, previne doenças metabólicas e cardiovasculares, a pressão alta e o diabetes, além de manter um bom equilíbrio da massa óssea, prevenindo a osteoporose; liberar endorfinas ligadas ao prazer, reduzindo ansiedade e depressão; melhorar a autoestima da mulher e sua qualidade do sono”, destaca a ginecologista.

2. Tenha uma boa alimentação

A alimentação saudável, rica em fibras, gordura magra, vitaminas, cálcio, ácidos graxos e água, ajuda na melhora do trânsito intestinal e na redução do inchaço corporal; favorece a boa circulação, e ainda melhora o humor e a disposição. A dica é investir no consumo de soja, que é fonte de hormônios naturais. A presença de aditivos químicos em alimentos industrializados pode potencializar os efeitos desagradáveis da menopausa. Por isso, limite seu consumo. Alimentos ricos em sal e açúcar; muita cafeína; carboidrato simples (farinha branca), fritura e gordura em geral também estão nessa lista a ser evitada.

3. Durma bem

A queda do hormônio estrogênio pode influenciar as horas de sono. Por isso, procure desenvolver e manter bons hábitos de sono, indo deitar e acordar sempre no mesmo horário, por exemplo.

melhores tons: mulher de cabelo loiro sorrindo

Foto: Shutterstock

4. Faça exames

Segundo Denise, uma mulher saudável, sem doenças associadas, deve realizar, no mínimo uma vez ao ano, exames preventivos como o papanicolau; exames de sangue com avaliação do perfil lipídico, da glicemia e da função tireoidiana; mamografia e avaliação pélvica por meio de ultrassom. “Avaliação da massa óssea pela densitometria óssea também é recomendado”, ressalta.

5. Fortaleça o corpo

Faça exercícios de fortalecimento da musculatura pélvica, como pilates e ioga (saiba mais na matéria da página 14). Eles são importantes para prevenir a incontinência urinária.

6. Cuide dos ossos

Manter os ossos fortes é importante para prevenir fraturas. Exercícios físicos com foco em levantamento de peso ajudam a fortalecer o esqueleto, mas procure um especialista para orientá-la. Consumir cálcio e vitamina D também é muito importante. Mulheres na pré-menopausa devem consumir de mil a 1.200 miligramas de cálcio por dia – o que equivale a 3 copos (300ml) de leite. Já a vitamina D tem como principal fonte a luz do sol.

7. Pondere o uso de medicamentos

Há quem recorra a terapias de reposição hormonal, porém é preciso consultar um especialista antes. O medicamento não é recomendado para mulheres com risco de câncer de mama, trombose ou doença cardíaca. “Muitas vezes, cuidados e medidas paliativas podem ser suficientes”, afirma Denise.

8. Instigue a libido

O uso de creme tópico de estrogênio pode ser uma alternativa para amenizar a secura vaginal. No entanto, a prática regular de sexo é uma maneira eficaz de aumentar o desejo sexual, o que contribui para o aumento da lubrificação.

 

Consultoria: Denise Gomes, ginecologista e obstetra

 

LEIA TAMBÉM