Google: iniciativa criada para checagem de notícias falsas chega ao Brasil

O Google lançou um recurso de checagem de notícias que chegou ao Brasil, para que seus leitores tenham certeza da veracidade das informações que lêem. Leia!

Google: iniciativa criada para checagem de notícias falsas chega ao Brasil
Foto: Twin Design/Shutterstock.com

O Google anunciou na última quarta-feira (15.02), o lançamento de um selo de checagem de notícias falsas chamado Fact Check, que tem como intuito combater as notícias falsas e a diminuição do risco dos leitores caírem nessas informações.

Google: iniciativa criada para checagem de notícias falsas chega ao Brasil

Foto: Twin Design/Shutterstock.com

O recurso que promete destacar as informações verdadeiras, aparecerá em artigos na aba de notícias do Google e no aplicativo Google Notícias. A tag “verificação de fatos” entrará em funcionamento ao lado do nome do site que publicou a reportagem. Lançado em outubro de 2016, o recurso chegou aos Estados Unidos, Reino Unido, depois na França, Alemanha e agora chega à América Latina com parcerias no Brasil, México e Argentina.

Para que a função seja habilitada, o Google se uniu às páginas nacionais que costumam verificar fatos: Agência Lupa, Aos fatos, e Agência Pública. Algumas regras também foram estabelecidas pela empresa, para que os publicadores de conteúdo ganhem a tag “verificação de fatos”. Também existem regras de análises transparentes com citações e referências para fontes primárias.

Google: iniciativa criada para checagem de notícias falsas chega ao Brasil

Foto: Shutterstock

Se o site não seguir as regras para marcação, o Google poderá excluir o veículo de comunicação dos resultados de busca. De acordo com o G1, Richard Gringas, o vice presidente da divisão de notícias do Google, comentou de onde surgiu essa verificação dos fatos, e como ela se comporta agora: “A checagem de fatos se firmou como uma área importante do jornalismo nos últimos anos dentro de veículos tradicionais e startups de mídia, que trabalham para averiguar a veracidade de informações sobre mitos urbanos, política, saúde e até a própria imprensa”.

LEIA TAMBÉM: