Fonte da juventude: saiba como a meditação ajuda a rejuvenescer

A meditação é uma prática extremamente eficaz no controle do estresse e ansiedade, mas você sabia que ela ajuda a rejuvenescer? Confira como!

mulher meditando
Foto iStock.com/Getty Images

Um estudo da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, comprovou que a meditação é capaz de rejuvenescer, pois ela promove alterações psicológicas positivas, proporcionando melhora significativa na qualidade de vida, como aumento da capacidade em lidar com situações estressantes. “A pesquisa provou que pessoas que meditam fortalecem as conexões cerebrais e retardam o encolhimento natural do cérebro, que acontece com o passar dos anos, devido ao encurtamento dos telômeros (estruturas de proteínas e DNA que formam as extremidades dos cromossomos)”, explica a especialista em inteligência emocional e propósito de vida, Semadar Marques.

mulher meditando

Foto iStock.com/Getty Images

Mente sã, corpo são

A meditação ensina a mente a canalizar energias e forças para eventos positivos. “Este é o papel da meditação: ensinarmos a acalmar a loucura de nossos pensamentos e canalizá-los para algo que esteja condizente com o que é importante para nós”, ensina Semadar. As agitações diárias e pluralidade de tarefas a cumprir influenciam o estresse, ansiedade e outras emoções que, em excesso, podem causar danos ao organismo e, ao meditar, você equilibra os pensamentos, ficando invulnerável a sentimentos negativos.

Saiba mais:

Cérebro nota 10: meditar previne depressão e estresse

7 exercícios de Pilates contra estresse para fazer em casa!

Garanta um cérebro jovem ao passar do tempo

Os efeitos da meditação podem ser percebidos também no organismo. O estresse libera cortisol, hormônio que, em excesso, pode derrubar a imunidade. Quando ele está controlado, todo o corpo agradece. Além disso, os chakras também equilibram o organismo.

 

Consultoria Nara Louzada, terapeuta comportamental; Semadar Marques, especialista em empatia, liderança colaborativa, propósito de vida e inteligência emocional