Flores artificiais ou naturais: qual a melhor opção?

Flores artificiais ou naturais, elas deixam qualquer ambiente mais aconchegante, relaxante e alegre. Confira, a seguir, as principais diferenças entre esses dois tipos de flores e escolha qual é o ideal para a sua casa!

flores artificiais ou naturais para cultivar em casa
Por Raíssa Pansieri - 15/03/2018

Foto: Shutterstock.com

As plantas são sempre uma boa ideia na decoração. Flores artificiais ou naturais, elas deixam qualquer ambiente mais aconchegante, relaxante e alegre. Confira, a seguir, as principais diferenças entre esses dois tipos de flores e escolha qual é o ideal para a sua casa.

Flores artificiais

A manutenção das flores artificiais é bem mais simples, já que elas não dependem de condições ideais de luminosidade nem de água para regar. Dessa forma, podem ser utilizadas em qualquer local da casa. No entanto, elas precisam ser escolhidas cuidadosamente para que a decoração não saia prejudicada. Dependendo do material, as flores acumulam muita poeira e devem ser limpas com frequência. Na maioria dos casos, podem ser lavadas ou escovadas, mas se forem muito frágeis, prefira limpar com um pano úmido. Além da higienização, lembre-se de trocar as flores logo que elas desbotarem. Se você quiser acertar em cheio na decoração, escolha flores artificiais com cores semelhantes às reais. Uma boa ideia é colocá- las em vasos rústicos, acrescentar cascas de árvores e tudo o que possa deixá-las com aparência de natural. Já que elas não têm odores, uma boa dica é borrifar aromatizadores ou essências sobre as pétalas. A grande vantagem é que um vaso decorativo pode criar um lindo efeito para quem deseja utilizar as flores artificiais em qualquer local da casa, como banheiros e cozinhas, por exemplo.

Flores naturais

Muitas pessoas querem adotar plantas em casa, mas nem sempre dispõem de tempo para se dedicar a esta “arte”. “Não existe uma fórmula mágica para manter a planta bela e forte, mas sim dedicação e seguir as regras de cuidados específicos da variedade escolhida. Portanto, a escolha da espécie deve levar em conta fatores como o ambiente a ser decorado, porte da planta, tipo de vaso e terra, incidência de luz solar e umidade necessária e, por último e não menos importante, a disponibilidade para cuidar da plantinha”, afirma a designer de ambientes Ana Marinho. Há plantas que se adequam melhor em jardins ensolarados, como a azaleia e o agapanto que, por serem rústicas, não necessitam de regas e podas constantes. Por outro lado, existem plantas que se desenvolvem melhor em ambientes úmidos e de sombra, como o ciclame. “Esta espécie, muito comum na primavera, deve ser regada todos os dias e o vaso deve escoar bem a água”, acrescenta a especialista. Dessa forma, é preciso lembrar que cuidar de plantas – artificiais ou reais – requer tempo e dedicação, mas o resultado é incrível!

Edição de texto: Mariana Siqueira/Colaboradora | Consultoria: Rejane Heiden

LEIA TAMBÉM: