Perrengues com os filhos durante as férias que toda mãe vai entender

Rafa Brites relata algumas das dificuldades mais comuns enfrentadas pelas mães

férias com os filhos
Foto: Reprodução/Instagram

Passar aquelas férias com os filhos tão sonhada é uma ideia maravilhosa na teoria, mas toda mãe sabe que, na prática, algumas coisas podem se complicar com os pequenos que como qualquer ser humano, são uma caixinha de surpresas, principalmente quando estão fora de casa.

Os perrengues de passar as férias com os filhos 

Rafa Brites, que é repórter e apresentadora, resolveu desabafar em seu Instagram pessoal sobre os desafios que tem enfrentado para educar seu primeiro filho, Rocco, da melhor forma possível e principalmente durante uma viagem mais longa.

Às vezes parece mágico, outras é de se pensar será que eu estava pronta pra isso? Essa é a cabeça dessa mãe que tem pensando muito sobre como educar um filho é o maior desafio da vida. Felipe esta em outra cidade treinando tênis e estamos nos dois aqui nesse passeio lindo mas … momentos de birra, de só querer comer batata frita, não querer tomar banho (não querer sair do banho), quando é em público então dá um nervoso, porque dá vontade de gritar… mas não podemos (nem devemos).

A apresentadora também aproveitou para relatar uma de suas tentativas mais duras durante a viagem. “Ontem até me escondi dele no parque para mostrar que ele não pode correr porque pode se perder, tadinho fiquei só observando ele achando que tinha se perdido. Ficou firme até a hora que me viu aí caiu no choro. ( deve ser uma tática horrível) mas funcionou…“, escreveu ela.

View this post on Instagram

As vezes parece magico, outras é de se pensar será que eu estava pronta pra isso? Essa é a cabeça dessa mãe que tem pensando muito sobre como educar um filho é o maior desafio da vida. Felipe esta em outra cidade treinando tênis e estamos nos dois aqui nesse passeio lindo BUT … momentos de birra, de só querer comer batata frita, não querer tomar banho ( não querer sair do banho), quando é em público então da um nervoso. Pq da vontade de gritar… mas não podemos (nem devemos). Ontem ate me escondi dele no parque pra mostrar que ele não pode correr pq pode se perder, tadinho fiquei só observando ele achando que tinha se perdido. Ficou firme ate a hora que me viu ai caiu no choro. ( deve ser uma tatica horrivel) mas funcionou … Chega uma hora que acho que todos os pais apelam … é um malabarismo louco mas ao olhar ao redor vejo que estão todas as famílias nessa… Alguns mais relax, outros mais estressados , algumas crianças mais calmas outras mais agitadas… todos os países, todas as línguas na mesma missão de educar. Não adianta achar que a escola fará, que o judô fará muito menos que o YouTube fará (sim eu confesso tenho vontade de dar o celular com video pra tudo pq ele fica hipnotizado.) Mas isso não é educar … Essa responsa aí é a maior e mais longa da vida! Da medo de mimar, medo de traumatizar… da preguiça… afff muita preguiça. Mas quando vemos eles dormindo, acordando com a cara amassada e descabelados… falando obrigada (thank you) ou com licença para estranhos na rua… aquece o coração e faz valer pena. ❤️

A post shared by Rafa Brites (@rafabrites) on

Por fim, Rafa concluiu que, apesar das dificuldades e até mesmo o sentimento de se sentir incapaz vez ou outra, todo o trabalho vale a pena e é recompensador. “Chega uma hora que acho que todos os pais apelam … é um malabarismo louco mas ao olhar ao redor vejo que estão todas as famílias nessa… Alguns mais relax, outros mais estressados , algumas crianças mais calmas outras mais agitadas… todos os países, todas as línguas na mesma missão de educar.

Não adianta achar que a escola fará, que o judô fará muito menos que o YouTube fará (sim eu confesso tenho vontade de dar o celular com vídeo pra tudo porque ele fica hipnotizado.) Mas isso não é educar … Essa responsa aí é a maior e mais longa da vida! Dá medo de mimar, medo de traumatizar… dá preguiça… afff muita preguiça. Mas quando vemos eles dormindo, acordando com a cara amassada e descabelados… falando obrigada (thank you) ou com licença para estranhos na rua… aquece o coração e faz valer pena.

Leia também: