Felicidade, hormônios e o ganho de peso: o que você precisa saber sobre isso?

Quer entender o que acontece com o seu corpo? Explicamos quais hormônios causam as sensações de felicidade e o que eles têm a ver com o seu peso

Mulher, sorrindo, hormônios, felicidade
Foto: Shutterstock.com

Cientistas de Harvard afirmam que 50% da felicidade é herdada geneticamente, e os outros 50% são distribuídos em – 40% atitude em ser feliz (o poder de decisão de ser feliz) e 10% depende da circunstância e do momento de vida que cada um esta passando (trabalho , família, situação financeira, amigos).

Opinião médica

Dra. Tassiane Alvarenga endocrinologista e metabologista explica que as substâncias liberadas no cérebro, chamadas de neurotransmissores durante momentos de felicidade incluem dopamina (na falta de dopamina a pessoa pode desenvolver compulsão por doce, bebida e até mesmo drogas). Endorfinas, as próprias endorfinas também estimulam a liberação de dopamina. Portanto a felicidade é importante não apenas para a saúde mental, mas também para a saúde física do corpo.

Mulher, dieta, magra, feliz, hormônios

Foto: Shutterstock.com

Qual a relação entre a felicidade e o peso?

“As endorfinas e a dopamina inibem o apetite. Por outro lado a falta de endorfinas e dopamina estimula as vias orexigências que são vias relacionadas ao aumento do apetite. Além disso, pessoas tristes geralmente tem maior nível de estress e isso estimula toda uma cascata endocrinológica para o ganho de peso, pois aumenta o cortisol, aumenta à deposição de gordura na região abdominal, fadiga, falta de energia e motivação.” Explica Dra. Tassiane.

Mulher, magra, hormônios, felicidade

Foto: iStock.com/Getty Images

Nos últimos 10 anos a obesidade no Brasil aumentou em cerca de 60%. Resultado de má alimentação, sedentarismo, aumento dos níveis de estresse e falta de felicidade. Dra. Tassiane afirma que o tratamento da obesidade e mesmo a sua prevenção envolve 4 pilares: alimentação saudável, atividade física, medicação correta quando necessária e o controle do estresse e da felicidade. Estes pilares funcionam como um malabarista de circo e devem ser equilibrados da melhor forma possível. De acordo com a OMS a felicidade é um componente essencial da saúde. A felicidade é um hábito que deve ser construído.

Consultoria: Tassiane Alvarenga, médica especialista pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia

LEIA TAMBÉM