Polícia deseja arquivar inquérito sobre o atentado contra Ana Hickmann

A Polícia Civil entendeu a morte de Rodrigo Augusto de Pádua como legítima defesa. Em maio, Rodrigo tentou matar a apresentadora Ana Hickmann

None
Foto: Reprodução/Instagram

por Redação Alto Astral
Publicado em 18/06/2016 às 13:53
Atualizado às 00:14

O inquérito do caso de atentado da apresentadora Ana Hickmann foi concluído e divulgado na última sexta-feira (17). A Polícia Civil pede o arquivamento do caso mas antes o documento será avaliado pelo Ministério Público, que juntamente com a Justiça decidirão se será arquivado ou não a partir da próxima segunda-feira (20).

Ana Hickmann

Foto: Reprodução/Instagram

No inquérito constam o assassinato de Rodrigo Augusto de Pádua, o fã que invadiu o quarto da apresentadora, e as suas tentativas de homicídio contra Ana Hickmann, Gustavo Correa e Giovana de Oliveira.

A polícia encontrou o pen drive de Rodrigo que continha pesquisas sobre como os detectores de metais do hotel em questão funcionavam, além de pesquisas sobre uma arma calibre 22 e mais de mil fotos de Ana Hickmann. Além disso, a polícia também descobriu que Rodrigo se hospedou no hotel justamente porque Ana estaria lá. Também foi encontrado um papel com anotações sobre o que seria o planejamento do crime.

Dessa forma, a polícia entendeu que Gustavo atirou contra Rodrigo em legítima defesa, já que o fã atirou contra Giovana e pretendia matar Ana.

ENTENDA O CASO

Em maio a apresentadora Ana Hickmann sofreu um atentado em um hotel que estava hospedada em Belo Horizonte (MG). Rodrigo Augusto de Pádua, de 30 anos, invadiu o quarto da apresentadora com uma arma e efetuou dois disparos em direção à cabeça de Ana, sendo que eles atingiram a cunhada de Ana, Giovana Oliveira, a deixando ferida. Uma tragédia maior foi evitada pelo irmão do marido de Ana, Gustavo Correa, que atirou contra Rodrigo.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.