ESTILO DE VIDA

Gírias adolescentes: você entende o que eles falam?

Seus filhos usam umas palavras que você nunca ouviu antes? Elas são as gírias adolescentes, muito comuns entre os jovens. Saiba como se comunicar com eles!

None
Você entende as gírias adolescentes? | Foto: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 25/05/2017 às 11:30
Atualizado às 12:53

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

As gírias fazem parte da adolescência e podem, muitas vezes, ser um ruído na comunicação entre pais e filhos. Entender o que eles estão falando é essencial, tanto para avaliar se o vocabulário é adequado, quanto para tentar entender o que se passa na cabeça dos adolescentes. Para ajudar você, Denise Dias, terapeuta infantil, deu algumas dicas valiosas que ajudam a entender as gírias adolescentes. Confira!

Devo proibir as gírias adolescentes?

“Não há porque haver proibição do uso de gírias. O que os pais devem ficar atentos é se elas possuem algum caráter de violência, depreciação, se as gírias possuem caráter negativo no geral. Caso contrário, não há por que pegar no pé dos filhos, muito pelo contrário: os pais podem e devem até mesmo buscar informações para compreender as gírias usadas para evitar um distanciamento familiar”.

Momento adequado

“O cuidado necessário é certificar-se que cada linguagem seja utilizada no ambiente adequado. As gírias adolescentes devem ser usadas em ambientes e grupos permitidos. Não há razão para o uso de uma linguagem mais popular onde a formalidade é exigida, como por exemplo, nas provas e tarefas escolares, a não ser que seja combinado entre a turma de alunos e o professor. Uma dica é que os pais perguntem aos filhos se o professor permite tal linguagem antes de fazerem acusações infundadas, afinal muitos pais não se informam sobre a vida escolar dos filhos e tiram conclusões precipitadas”.

De olho na internet

“A internet contribui muito para a formação de gírias adolescentes, mas além da forma abreviativa das redes sociais, há também a constante comunicação via uso dos emojis (aquelas carinhas amarelas com expressões faciais diferentes), utilizados cada um em uma situação emotiva específica, e outros símbolos em forma de desenhos. Isso é importante para os pais: se a forma como eles fazem questão de escrever entre eles é totalmente incompreensível, pode ser que estejam escondendo algo de propósito, ou seja, há que se verificar com a devida importância”.

Aplicativos de redes sociais no celular

Os emojis são muito usados nas redes sociais | Foto: Shutterstock

Conselho para os pais

“Castigo é consequência, e todos nós lidamos com as consequências dos nossos atos, das nossas escolhas sempre. Por isso, é dever dos pais cuidar para que seus filhos lidem com as consequências dos próprios atos. E o mau comportamento quando envolve o uso de gírias faz parte disso também”.

Fique de olho!

“Se um adolescente lê revistas, livros e sites que contêm linguagem recheada com gírias adolescentes, terá muita dificuldade para acompanhar textos mais formais e com linguagem mais rebuscada. Ou seja, é preciso vigiar e equilibrar”, propõe.

Algumas gírias mais usadas pelos jovens:

  • Partiu: vamos
  • Lacrou: mandou bem
  • OMG!: do inglês Oh My God!, que significa “Ó, meu Deus!”
  • Novinha(o): gíria do funk, quer dizer menina ou menino mais novo
  • Deu ruim: quando algo realmente não dá certo
  • Trollar: sacanear alguém
  • SQN: abreviação de “só que não”, usado para mostrar o significado contrário de uma afirmação.
  • Brinks: de brincadeira
  • Crush: paquera
  • Shippar: aprovar novos casais. Exemplo: “eu shippo fulano com ciclana”.

LEIA TAMBÉM: