Gripe do vírus H3N2 pode se tornar a mais comum em 2017

Mutação do vírus Influenza A, o H3N2 pode superar H1N1 no número de infecções e se tornar o novo tipo de gripe mais contraída este ano no país

None
A gripe provocada pelo H3N2 possui os mesmos sintomas de uma gripe comum, porém mais intensos. FOTO: iStock.com e Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 06/08/2017 às 07:00
Atualizado às 13:59

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

A gripe é, sem dúvidas, um dos maiores males do inverno. De acordo com o Ministério da Saúde, em todo o ano de 2016, a doença matou 1.982 pessoas no Brasil. O grande responsável pela gripe é o vírus Influenza, que assume diversas mutações, como, por exemplo, as Influenzas A (H1N1 ou H3N2), B e C.

Os dois primeiros tipos originam as epidemias sazonais, sendo o vírus Influenza A responsável pelas grandes pandemias. Já o C causa apenas infecções respiratórias brandas. Para este ano, um levantamento do Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe (SIVEP-Gripe), do Ministério da Saúde, estima um crescimento da incidência do tipo H3N2 – que tem os mesmos sintomas, mas age no organismo de maneira mais intensa.

A forma mais eficaz para a prevenção de todos os tipos da doença – inclusive a gripe H3N2 – é a mesma: a vacina. Mas, além dela, o médico otorrinolaringologista e mestre em Ciências da Saúde, Dr. Levon Mekhitarian Neto, indica o uso de medicamentos homeopáticos, evitar ambientes com aglomeração, alimentação adequada, proteção contra o frio e a ingestão de líquidos, que também são grandes aliados e podem colaborar na prevenção junto com a vacina.

Idosos e crianças são mais propensos a sofrer com a gripe

De acordo com o médico, o sistema imune desses indivíduos não responde com tanta eficácia. No caso das crianças, como ficam mais expostas e em ambientes de muita interação social, elas acabam tendo mais chances de contrair a doença. Já os idosos têm uma defesa menor e, por isso, ficam mais vulneráveis.

Idosos e crianças são dois dos principais grupos de risco de contaminação pela gripe. FOTO: Vinicius Tupinamba e Shutterstock.com

Resfriado ou gripe?

O Dr. Levon comenta que os resfriados são mais leves e têm como sintomas a coriza, a tosse e, em alguns casos, dor de cabeça e rouquidão. Já a gripe é transmissível e epidêmica. Os sinais da doença são nariz entupido, dores no corpo, febre e náuseas.

A vacina é fundamental, mas não é a única opção!

É possível prevenir a doença ao evitar locais fechados, ingerir bastante líquido e não se expor a ambientes gelados. O médico sinaliza que os medicamentos homeopáticos também são uma alternativa terapêutica eficaz, já que não possuem relatos de efeitos adversos e podem ser utilizados simultaneamente a outros remédios, além de ajudarem a melhorar a reação do organismo, estimulando algumas defesas específicas do paciente.

Como agem os medicamentos alopáticos para a gripe?

O especialista explica que os remédios contra a gripe são sintomáticos. Por isso, eles não curam a doença, mas aliviam os sintomas. A medicação é apenas uma forma de controlar as manifestações do vírus.

Texto: Redação Alto Astral | Consultoria: Levon Mekhitarian Neto, médico otorrinolaringologista e mestre em Ciências da Saúde

LEIA TAMBÉM

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.