ESTILO DE VIDA

Virose: quem é essa inimiga?

Um dos diagnósticos mais comuns nos consultórios médicos e pronto-atendimento é virose. Mas do que se trata essa doença e como tratar?

None

por Redação Alto Astral
Publicado em 09/08/2016 às 19:19
Atualizado às 21:01

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Não importa se a criança está com febre ou diarreia. No entra-e-sai do consultório médico infantil, o que mais se escuta falar é em virose. Até parece que os médicos combinaram! Mas a verdade é uma só: essa inimiga realmente existe e se manifesta de várias maneiras. “Principalmente nas épocas secas do ano, os quadros clínicos mais comuns em crianças são mesmo os causados por vírus”, atesta Ana Clara Gianotti, médica assistente de pneumologia infantil e membro da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia ( SPPT).

bebê tomando remédio

Foto: Glow Images/Latinstock

“As maiores incidências são de resfriados, gripes e bronquiolite, uma infecção respiratória que começa com um resfriadinho, coriza e depois, cansaço e tosse”, conta. Os sintomas dependem do tipo de vírus. Os mais comuns são rinovírus, influenza, parainfluenza, adenovírus e vírus sincicial respiratório (VSR). Já os sintomas normalmente são febre, tosse, coriza, falta de ar, chiado no peito, diarreia e vômito. “Um quadro febril que passa de três dias, provavelmente, não é só uma virose. Deve ter um quadro bacteriano associado”, salienta a médica.

Cuidado com o rotavírus!

Embora à primeira vista possam parecer inofensivas, algumas viroses são consideradas graves, como é o caso do rotavírus. Mais frequente entre o outono e o inverno, essa doença apresenta quadros intensos de diarreia e vômitos, podendo levar a criança rapidamente à desidratação e, consequentemente, à morte.

Como nos demais casos, a transmissão é pelo contato com pessoas infectadas e atinge principalmente crianças menores de cinco anos. A boa notícia é que o Ministério da Saúde disponibiliza gratuitamente nos postos de saúde a vacina contra o rotavírus.

Saiba mais:

Primeiro suquinho do bebê: quando oferecer?

Babá, vovó ou berçário: cuidados com o bebê

Doenças e os bebês: anemia, diarreia e infecção urinária

Aparelho respiratório

De acordo com Ana Clara, outros casos graves de virose também muito comuns são as infecções respiratórias, que podem levar os bebês à UTI, necessitando de tratamentos urgentes e especializados.

Nos casos de viroses que podem apresentar desidratação devido aos vômitos e diarreia, o soro é um dos mais receitados pelos profissionais. “A mãe pode comprar o soro pronto vendido nas farmácias, ou até mesmo fazê-lo em casa. Os efeitos são os mesmos”, acentua Ana Clara.

Para preparar este santo remédio em casa, basta apenas misturar uma pitada de sal e 1 colher (sobremesa) de açúcar a 1 copo (200ml) de água. Ofereça-o à criança várias vezes ao dia, principalmente após os vômitos e evacuação por diarreia.

bebê tomando remédio contra virose

Foto: iStock.com/Getty Images

Como prevenir?

Como não há formas claras de prevenção, o jeito é ficar de olho em alguns cuidados básicos:

  • Evitar ambientes fechados e aglomerados
  • Pessoas fumando
  • Lavar bem as mãos após usar o banheiro e antes de preparar e pegar os alimentos
  • O aleitamento materno até os seis meses também oferece uma série de anticorpos capazes de fortalecer a criança, não somente contra o rotavírus, mas também contra outras doenças que provocam diarreia.

Ao aparecer qualquer um dos sintomas em seu filho, jamais pense em usar a automedicação. Às vezes, até parece que os médicos não sabem diagnosticar as doenças, mas acredite: eles sempre acertam e só eles sabem dizer as maneiras corretas de tratamento para cada vírus.

Consultoria: Ana Clara Gianotti, médica assistente de pneumologia infantil e membro da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT)