Mito ou verdade? Saiba tudo sobre a vacina H1N1

Confira os mitos e verdades sobre a vacina H1N1: saiba onde tomar, quais são os grupos de risco e muito mais. Saiba tudo sobre a vacinação do Influenza

None
A infecção pelo HPV é considerada a doença sexualmente transmissível (DST) mais comum no mundo! FOTO: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 16/05/2016 às 15:13
Atualizado às 21:03

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

O recente surto do vírus H1N1 em todo o Brasil deixou a população em alerta. A prevenção para esse tipo de gripe pode ser feita por duas maneiras: cuidados com higiene e, de maneira mais eficaz, tomando a vacina adequada para o H1N1. Entretanto, a ideia de tomar a vacina ainda é algo que causa insegurança nas pessoas. Muitas informações sobre a vacinação são espalhadas, e algumas equivocadas.

Vacina contra H1N1: saiba os mitos e verdades

Shutterstock

Para evitar desinformações, separamos os principais mitos e verdades sobre a vacina contra o H1N1 e a vacinação em geral. Adulto precisa tomar com qual frequência? Tem efeitos colaterais? É pior para o sistema imunológico? Confira as respostas!

Quem pode tomar a vacina gratuitamente

O Ministério da Saúde promove anualmente a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza. Na campanha, que dura até o dia 20 de maio de 2016, os grupos prioritários recebem gratuitamente a vacina em postos de saúde.

Os grupos prioritários são: crianças de 6 meses a menores de 5 anos, gestantes, puérperas, trabalhadores de saúde, povos indígenas, indivíduos com 60 ou mais anos de idade, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e pessoas portadoras de outras condições clínicas especiais (doença respiratória crônica, doença cardíaca crônica, doença renal crônica, doença hepática crônica, doença neurológica crônica, diabetes, imunossupressão, obesos, transplantados e portadores de trissomias).

Leia também:

Pílula contra o câncer: entenda o que é a fosfoetanolamina sintética

Locais para vacinar bebês prematuros

Uma dose da vacina basta?

MITO. O vírus H1N1 é mutante, e varia sua forma conforme os anos. Portanto, a cada ano a vacina é atualizada, sendo necessário tomar uma nova dose.

A vacina contém o vírus?

VERDADE. A vacina possui uma amostra enfraquecida do vírus H1N1. A amostra, entretanto, não é nociva e serve apenas para que o sistema imunológico consiga devolver uma proteção contra a ameaça.

Existem efeitos colaterais?

VERDADE. Os efeitos colaterais, no entanto, não são tão graves. O efeito mais comum é a dor local. Outros sintomas como febre, mal estar e mialgia podem ocorrer após a vacinação. Mas, de acordo com o Ministério da Saúde, esses casos foram notificados em menos de 1% dos vacinados.

Vacinas em excesso podem enfraquecer o sistema imunológico?

MITO. Pelo contrário. Cada vacina provoca uma resposta imunológica diferente, ativando a defesa defesa do organismo para determinadas ameaças. Além disso, as doses aplicadas não são tóxicas.

Vacina contra H1N1: saiba os mitos e verdades

Shutterstock

Grávidas não podem tomar vacina?

MITO. Algumas vacinas são contraindicadas, mas isso não é o caso do H1N1. Gestantes, inclusive, podem tomar a vacina gratuitamente.

Se todos ao meu redor estiverem vacinados, estarei seguro?

MITO. A transmissão do vírus pode ser feita de forma direta e indireta por secreções. Portanto, há chance de alguém vacinado contrair o vírus e espalhá-lo.

A vacina em clínica é mais segura do que a dos postos de saúde?

MITO. Na maioria das clínicas, os fornecedores das vacinas são os mesmos do Sistema Único de Saúde (SUS). Logo, são seguras nos dois casos. A diferença é que algumas clínicas fornecem doses agrupadas da vacina, ao contrário da rede pública, na qual as doses são separadas por um período de tempo.

A vacina demora para fazer efeito?

VERDADE. O organismo humano demora um tempo para desenvolver a imunidade. Isso leva de duas a três semanas.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.