Treinamento funcional: rápido e prático para quem quer perder peso

O treinamento funcional é uma atividade para quem quer fugir dos treinos tradicionais de academia. Ele é prático e auxilia na perda de peso e boa forma

None
FOTO: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 26/09/2016 às 13:11
Atualizado às 12:38

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres
O circuito é uma alternativa dinâmica de atividade realizada em academias no qual é trabalhado a força, a resistência muscular e cardiorrespiratória, a agilidade e o equilíbrio. Ele é uma adaptação do mundo dos esportes para o fitness. “Ele é constituído por exercícios em desequilíbrio, a fim de atingir fibras musculares normalmente não trabalhadas”, informa Wesley Almeida, treinador. Ele acrescenta que, deste modo, aumenta-se também a consciência corporal.
mulher levantamento de peso, treino

FOTO: Shutterstock

Por onde começar

Com o objetivo e planejamento bem definidos com o treinador, o exercício funcional visa melhorias da performance de atividades diárias. Se você é um atleta, o método terá foco na sua prática esportiva, se não é, os exercícios irão atender outras necessidades onde o corpo é treinado como um todo e não isolando determinados grupos musculares. As aulas têm duração de 30 minutos, sem intervalos entre os exercícios para, assim, o metabolismo acelerar e queimar mais gordura, além tonificar a musculatura do corpo todo. “O circuito funcional é um modelo de treinamento que se baseia nos princípios do treinamento funcional, agrupando movimentos naturais do nosso cotidiano – segurar, agachar, saltar, correr, empurrar, etc, ou de uma atividade específica no caso de otimizar o rendimento de um atleta, por exemplo”, explica Bárbara Orsi, educadora física.

Como funciona

O treino é diversificado a cada aula, não seguindo uma mesma regra ou linha de exercícios. Neles são usados cordas, elástico, fita de suspensão, kettlebell e cones. Mas o que conta mesmo é o peso do corpo como carga para diminuir ou aumentar a intensidade dos exercícios. Dessa forma, é possível promover, num mesmo exercício, uma grande ativação de fibras musculares, movimentando mais de um grupo muscular por vez. Os músculos do core (região abdominal, glúteos e lombar) são priorizados por serem estabilizadores e, quando estão fortalecidos dão base para trabalhar com mais eficácia a musculatura dos membros superiores e inferiores.

Emagrece ou tonifica?

Os dois! Dependendo do objetivo do aluno, emagrecer ou hipertrofiar, o treinamento pode ser realizado diariamente, dividindo os grupamentos musculares, ou não. “O treinamento funcional é um método muito particular. A maior parte das pessoas busca a perda de calorias e ‘secar’, mas há quem precise ainda de mais força, resistência e potência”, conclui o treinador. E tem mais, pessoas com dores crônicas podem treinar o circuito funcional normalmente, já que estimula as musculaturas posturais, como abdômen, a região lombar e os eretores da coluna, além de servir como tratamento de alguma lesão existente. “Posso dar um treinamento para uma pessoa que sofra com dores nos ombros, perfeitamente. Afinal de contas, fortalecendo a musculatura que envolve a região, consequentemente evitaremos ou reduziremos as dores”, ressalta Wesley. É importante dar um descanso de 48 horas para os músculos, no caso de qualquer treinamento, não só o funcional.

FONTE: Bárbara Orsi, educadora física; Wesley Almeida, personal trainer especializado em treinamento funcional

LEIA MAIS