ESTILO DE VIDA

Como os transtornos psíquicos afetam os sistemas do organismo

Problemas como ansiedade, depressão e estresse podem desencadear problemas por todo o organismo. Veja como os transtornos psíquicos afetam os sistemas.

None
Foto iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 08/09/2016 às 20:33
Atualizado às 20:57

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Existe uma área no cérebro responsável pela manifestação física dos estados emocionais: o hipotálamo, que fica logo abaixo do cérebro. Ali existe uma pequena glândula, a hipófise, que fabrica hormônios importantes para o corpo e “gerencia” outros. “O hipotálamo gerencia as emoções mais primitivas, essenciais para a sobrevivência do ser e da espécie. Ele aciona a hipófise que libera hormônios que vão estimular outros hormônios viscerais”, indica a psiquiatra Maria Cristina De Stefano. Tão logo a reação em cadeia começa. A seguir, confira como os transtornos psíquicos interferem nos sistemas do organismo.

Cérebro, corpo humano, áreas iluminadas, ilustração

Foto iStock.com/Getty Images

Cérebro

Com o estresse constante, as células nervosas cerebrais também podem sofrer. “Nesse processo, há liberação de substâncias tóxicas, como os oxidantes celulares”, explica a psiquiatra Maria Cristina De Stefano. Dores de cabeça crônicas (frequentes), nevralgias ou lesão de nervos e labirintite, podem ser problemas psicogênicos, ou seja, causadas por transtornos psíquicos.

Pele

Funciona como um espelho do corpo, ou seja, um grande órgão aparente. Doenças emocionais também têm manifestações físicas importantes na pele. “Doenças alérgicas, coceira, eczemas, urticárias, psoríase, queda de cabelos, falta de cílios e sobrancelhas são padecimentos gerados por distúrbios emocionais, que precisam ser bem analisados”, indica a profissional.

Sistema digestivo/excretor

“Esse grande sistema corporal é responsável por diversas funções que vão além da digestão. Há uma estreita relação entre os intestinos – delgado e grosso – com o humor, a disposição e a vitalidade”, indica Maria Cristina. Alguns dos hormônios e neurotransmissores são fabricados no intestino, que afetam diretamente a parte emocional. Quando as emoções estão em desordem, o intestino logo sente, seja em forma de diarreia, constipação, gases, síndrome do intestino irritável, dor abdominal, cólicas ou úlcera de estresse. Porém, o contrário também é válido: “qualquer alteração nesse processo [sistema digestivo] pode causar alterações psíquicas graves por falta de absorção de proteínas essenciais ao trabalho mental”, destaca a psiquiatra.

Saiba mais:

Doença do século: confira 10 indícios de que você está com depressão

Fome ou ansiedade? Aprenda como diferenciá-las!

Equilíbrio emocional: 10 dicas para cuidar da saúde da mente

Sistema cardiovascular

O excesso de adrenalina, outro hormônio secretado em situações de estresse e desordem emocional, além de outros neurotransmissores excitatórios também causados por medo e raiva tem influência nesse sistema. O resultado pode vir em forma de dores e apertos no peito, pressão alta, arritmias cardíacas e ocasionar, até mesmo, infarto.

Texto Jéssica Frabetti | Consultoria Maria Cristina De Stefano, psiquiatra