Terapia na infância: por que é tão importante?

Além de auxiliar no desenvolvimento cognitivo, a terapia na infância traz diversos benefícios para a idade adulta

Situações como a mudança de escola e a perda de um animal de estimação podem gerar traumas nas crianças
Situações como a mudança de escola e a perda de um animal de estimação podem gerar traumas nas crianças - Shutterstock

por Loyane Lapa
Publicado em 16/02/2022 às 20:00
Atualizado às 20:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Desde o início da pandemia, as buscas por profissionais da psicologia aumentaram e muito, sabia? E você pode ter percebido isso através de conversa com amigos, afinal, pelo menos algum conhecido seu deve ter iniciado a terapia durante esta fase.

No entanto, um outro ponto muito importante e que muita gente deixou de lado foi o comportamento das crianças. O lockdown afetou principalmente aos pequenos, que passaram a ter que estudar online, ter seu vínculo com amigos cortados e passaram a conviver em casa o tempo inteiro. Ou seja, muitas mudanças de uma vez. 

Pode parecer que não, mas as crianças foram as que mais sentiram durante este período. E é durante a infância que os pequenos desenvolvem seu lado emocional, sua visão de mundo e de pessoas. Então, por ainda estarem em fase de desenvolvimento e de aprendizado, certas situações podem gerar traumas.

Por isso, é muito importante aderir à terapia na infância em determinados casos. Isso porque, a missão do terapeuta nesses casos é auxiliar os pais a trabalharem melhor as capacidades, sentimentos e evolução da criança. 

E diferentemente do que acontece com adultos, por exemplo, os terapeutas infantis tentam compreender o que está acontecendo através de atividades lúdicas, como brincadeiras e conversas que façam parte do universo da própria criança.

Segundo a psicóloga Letícia Cavalcante, “os psicólogos infantis são capazes de identificar comportamentos atípicos desde cedo, a detectar a raiz dos conflitos e desconfortos que possam estar impactando e causando problemas de aprendizagem, hiperatividade ou ansiedade, e auxiliar as crianças a lidarem com os traumas na primeira infância”.

A especialista acrescenta que: “A infância é uma etapa importante do desenvolvimento neuro cognitivo, um período em que todos os acontecimentos refletem por toda a vida. Por isso, é preciso ficar atento ao bem-estar emocional, afetivo, psicossocial, cognitivo, e procurar ajuda e orientação. Pois a terapia infantil é uma oportunidade de auxiliar a criança a se sentir melhor, superar seus problemas, além de direcionar os pais da melhor forma para lidarem com esses cenários”.

Criança fazendo terapia
Na terapia, as crianças se expressam através de conversa, brincadeiras e desenhos | Imagem: Shutterstock

Em quais casos a terapia na infância é recomendada?

De acordo com Letícia, a terapia é recomendada para crianças com dificuldade de relacionamento com outras da mesma idade, inconsistência com os membros da família, constantes apontamentos dos professores, dificuldade em manter a concentração, traumas de infância, timidez excessiva, agressividade, hiperatividade e depressão.

Para a especialista, a maioria desses sintomas pode estar ligado a outras situações, como: mudança de escola ou de endereço, separação dos pais, falecimento de um ente querido ou até mesmo de um animal de estimação, entre outros.

Quais as vantagens?

Se você parar para pensar, às vezes, uma situação ocorrida enquanto criança gera consequências – na maioria dos casos, intrínseca –  para a fase adulta. Sendo assim, a terapia na infância serve para desenvolver e fortalecer soluções emocionais necessárias para lidar com situações difíceis em qualquer momento da vida. 

Entre os benefícios desse tipo de cuidado, estão:

  • desenvolvimento de autoconhecimento e autoestima;
  • aumento do rendimento escolar e da concentração;
  • promoção da integração social da criança;
  • elevação do potencial criativo;
  • amadurecimento psicológico e desenvolvimento de habilidades emocionais;
  • melhora no relacionamento com os pais e professores;
  • compreensão de que na vida pode acontecer coisas que não queremos.

Ou seja, apenas coisas boas, não é mesmo? Além disso, a terapia na infância também pode ajudar mamães que estão em busca de alternativas para reduzir o excesso de tecnologia para os pequenos.

Por isso, que tal começar a ver a terapia com outros olhos e caso entenda que é necessário, implementá-la na rotina dos seus filhos? Garantimos que os resultados dessa prática vão melhorar e muito a qualidade de vida de maneira geral!

Fonte: Letícia Cavalcante, psicóloga e coordenadora do curso de Psicologia da  Anhanguera.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.