ESTILO DE VIDA

Teorias da conspiração: por que elas surgem?

Ideias loucas como “Elvis não morreu” e "Getúlio não se matou" não aparecem do nada. Estudos indicam por que as teorias da conspiração surgem

None
FOTO: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 16/12/2016 às 15:01
Atualizado às 16:14

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Marilyn Monroe e Princesa Diana tiveram suas mortes encomendadas. Getúlio Vargas e Hitler não se suicidaram. Esses são apenas quatro exemplos de uma infinidade de mortes a partir das quais surgiram verdadeiras teorias da conspiração, apontando versões não oficiais repletas de mistérios, e também com pitadas de loucura. Mas de onde surgem tantas histórias?

lupa e pergaminho, investigação de teoria da conspiração

FOTO: Shutterstock.com

Descrença nas autoridades

Em janeiro de 2012, três pesquisadores da universidade britânica de Kent, Michael Wood, Karen Douglas e Robbie Sutton, divulgaram um estudo bastante completo sobre teorias da conspiração. Nessa análise, publicada no periódico científico Social Psychological and Personality Science, eles relatam que esse tipo de paranoia é frequente por conta da descrença que algumas pessoas possuem em relação ao que é dito pelas autoridades.

Assim, qualquer coisa que sai da boca dos mais poderosos é automaticamente desacreditada – o que leva até a algumas conclusões contraditórias, quando, por exemplo, os entrevistados se mostraram inclinados a acreditar que Osama Bin Laden já estava morto, ao mesmo tempo em que admitiam também a forte possibilidade de ele ainda estar vivo. Ou seja, sentem-se atraídos por tudo o que contradiga as explicações oficiais.

Teorias da conspiração à francesa

Engana-se quem acredita que foi só com o advento da internet que as teorias da conspiração mais mirabolantes se espalharam. A Revolução Francesa, que ocorreu entre 1789 e 1799 e derrubou o absolutismo monárquico no país, foi alvo de boatos desse tipo já em 1797.

Dois livros publicados sobre o assunto – Memoires pour Servir à l’Histoire du Jacobinisme, de Augustin du Barruel, e Provas de uma Conspiração Contra todas as Regiões e Governos, do escocês John Robison – alegaram que o movimento foi resultado de uma conspiração da sociedade secreta dos Illuminati, fundada em 1776 para difundir o pensamento iluminista de racionalidade e igualdade.

LEIA TAMBÉM